Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

07/04/2005 14:04

Pesença de acompanhante durante parto, lei é sancionada

Carolina Pimentel / ABr

As mulheres ganharam o direito de ter um acompanhante durante o parto e o pós-parto em qualquer hospital público ou da rede do Sistema Único de Saúde (SUS). O projeto foi sancionado hoje (7) pelo presidente em exercício, José Alencar, e já entrou em vigor. A grávida poderá escolher o acompanhante, que vai acompanhar todo o trabalho de parto.

A senadora Ideli Salvatti (PT-SC), autora do projeto, diz que a presença de um parente ou de uma pessoa de confiança facilita o trabalho de parto. "Tem um efeito psicológico fundamental: a mulher fica tranqüila. Ficou tranqüila, tudo flui", afirmou a senadora, que acompanhou a cerimônia de sanção do projeto.

Hospitais particulares e algumas maternidades públicas já adotam a prática, chamada de humanização do parto. Entre as vantagens do parto humanizado estão a diminuição do stress da mulher, melhoria nas condições de amamentação, redução do risco de doenças para a criança e dos custos para a rede pública.

Segundo a senadora, os hospitais terão que fazer algumas mudanças para cumprir a lei, mas isso não significará gastos extras. "Se você tiver no mínimo uma cortininha para separar uma parturiente da outra, não é tão abusiva no termo de gastos. A prática do parto humanizado já, comprovadamente, reduz os custos hospitalares porque diminui as cesarianas, o número de anestesias, as complicações pós-parto e o tempo de internação. Toda essa economia, com certeza, supera mesmo que o hospital tenha que fazer algumas adaptações".

O hospital da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) permite, há mais de dez anos, a presença de um acompanhante nos partos. Segundo o chefe do berçário do hospital, Carlos Pinheiro, o tempo de internação na maternidade caiu mais de 30%. Pinheiro afirmou que o hospital tem o menor índice de cesarianas da região de Florianópolis, mesmo prestando atendimento a gestações de alto risco.

Ele destacou ainda o baixo custo do parto humanizado. "A única mudança de custo seria um avental para o acompanhante. Isso não representa nada dentro do hospital que tem que lavar milhares de roupas por dia. O custo é zero".

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)