Cassilândia, Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

30/09/2005 15:48

PEC proíbe propaganda de realizações dos governos

Agência Câmara

A Câmara vai analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 455/05, apresentada pelo deputado Moreira Franco (PMDB-RJ), que proíbe a propaganda de atos, programas, obras e serviços da administração pública direta ou indireta com a utilização de recursos orçamentários. Caso seja aprovada, a medida terá abrangência sobre a administração federal, estadual e municipal.
A proposta exclui da proibição a publicação de atos administrativos para efeitos legais, como concursos, licitações e concorrências. Também as campanhas de saúde pública poderão ser divulgadas como propaganda, assim como produtos e serviços de empresas públicas e sociedades de economia mista.

Gastos milionários
Segundo o autor da PEC, neste ano houve acréscimo de R$ 250 milhões nos gastos com publicidade no governo federal em relação a 2004. "Incluindo os valores que não são divulgados de forma consolidada, a gestão Lula tem despesa anual com propaganda da ordem de R$ 1,05 bilhão", revelou o deputado, citando dados do jornal Folha de S. Paulo.
Para Moreira Franco, já seria um absurdo uma despesa dessa magnitude em um país repleto de carências como o Brasil, mas os gastos com a publicidade oficial adquirem contornos mais perversos devido à atual crise política. No centro dos escândalos, lembra o deputado, está o envolvimento suspeito de políticos e da administração pública com empresas de publicidade. "Surgem evidências de que verbas aplicadas em publicidade acabam transformando-se, de forma viciosa, em fontes de financiamento de campanhas eleitorais", resumiu.

O que diz a lei
A atual legislação permite a publicidade de governos, desde que tenha caráter informativo, educativo ou social. É proibida, porém, a vinculação dessa propaganda a qualquer pessoa ou grupo, por meio de nomes, símbolos ou imagens.

Tramitação
A proposta foi enviada à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, onde será analisada sua admissibilidade. Em seguida, será encaminhada para a avaliação de uma comissão especial de deputados e, depois, à votação em dois turnos pelo Plenário.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 24 de Novembro de 2017
Quinta, 23 de Novembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quarta, 22 de Novembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)