Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

30/09/2005 15:48

PEC proíbe propaganda de realizações dos governos

Agência Câmara

A Câmara vai analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 455/05, apresentada pelo deputado Moreira Franco (PMDB-RJ), que proíbe a propaganda de atos, programas, obras e serviços da administração pública direta ou indireta com a utilização de recursos orçamentários. Caso seja aprovada, a medida terá abrangência sobre a administração federal, estadual e municipal.
A proposta exclui da proibição a publicação de atos administrativos para efeitos legais, como concursos, licitações e concorrências. Também as campanhas de saúde pública poderão ser divulgadas como propaganda, assim como produtos e serviços de empresas públicas e sociedades de economia mista.

Gastos milionários
Segundo o autor da PEC, neste ano houve acréscimo de R$ 250 milhões nos gastos com publicidade no governo federal em relação a 2004. "Incluindo os valores que não são divulgados de forma consolidada, a gestão Lula tem despesa anual com propaganda da ordem de R$ 1,05 bilhão", revelou o deputado, citando dados do jornal Folha de S. Paulo.
Para Moreira Franco, já seria um absurdo uma despesa dessa magnitude em um país repleto de carências como o Brasil, mas os gastos com a publicidade oficial adquirem contornos mais perversos devido à atual crise política. No centro dos escândalos, lembra o deputado, está o envolvimento suspeito de políticos e da administração pública com empresas de publicidade. "Surgem evidências de que verbas aplicadas em publicidade acabam transformando-se, de forma viciosa, em fontes de financiamento de campanhas eleitorais", resumiu.

O que diz a lei
A atual legislação permite a publicidade de governos, desde que tenha caráter informativo, educativo ou social. É proibida, porém, a vinculação dessa propaganda a qualquer pessoa ou grupo, por meio de nomes, símbolos ou imagens.

Tramitação
A proposta foi enviada à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, onde será analisada sua admissibilidade. Em seguida, será encaminhada para a avaliação de uma comissão especial de deputados e, depois, à votação em dois turnos pelo Plenário.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)