Cassilândia, Quinta-feira, 25 de Maio de 2017

Últimas Notícias

29/06/2006 07:45

PEC da Defensoria é elogiada em audiência pública

Agência Câmara

O relator da Comissão Especial da Defensoria Pública da Câmara Federal(PEC 487/05), deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), confirmou ontem que apresentará no dia 5 de julho o parecer sobre a proposta, que é de autoria do deputado Roberto Freire (PPS-PE) e trata da organização e das atribuições da Defensoria Pública. Hoje, durante a última audiência pública da comissão, a PEC foi elogiada pelos convidados.
O presidente da Associação Nacional dos Defensores Públicos, Leopoldo Portela Junior, afirmou que a PEC é "perfeita" para transformar a Defensoria em um efetivo instrumento de acesso da população carente à Justiça, "cumprindo assim seu papel constitucional".

Acesso à Justiça
O secretário de Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça, Pierpaolo Cruz Bottini, disse que a Defensoria não viabiliza o acesso da população carente apenas ao Judiciário, mas à Justiça no sentido mais amplo. Bottini explicou que cabe aos defensores orientar a população quanto a seus direitos; solucionar conflitos por meio de métodos alternativos de composição de interesses e, em última hipótese, representar o cidadão carente em defesa de seus direitos individuais ou coletivos.
Segundo ele, é essencial que a Defensoria seja estruturada institucionalmente e financeiramente. O primeiro problema, avaliou, é o fato de que a Defensoria só está presente em 42% das comarcas brasileiras. Bottini informou que o País tem 1,6 defensor por 100 mil habitantes e 7,7 juízes para a mesma quantidade de pessoas. Cada estado gasta R$ 71,6 com o sistema de Justiça, mas apenas R$ 3,9 com a Defensoria.
Ele afirmou que a PEC cria condições para o fortalecimento da instituição por transformar a Defensoria num poder de Estado, equiparando-a ao Ministério Público, e por conceder-lhe iniciativa legislativa. A proposta em tramitação também dá à Defensoria o poder de entrar com ADI e ADC, além de conceder autonomia política e organizacional à instituição.

Público
De acordo com o presidente da Associação Nacional dos Defensores Públicos da União, Holden Macedo, a PEC interessa aos 92 milhões de brasileiros que ganham menos de dois salários mínimos e que dependem da Defensoria para ter acesso à Justiça.
Porém, uma falha da PEC 487/05 foi apontada pela presidente da Associação dos Defensores Públicos do Estado do Ceará (Adpec), Francilene Gomes de Brito Bessa: o fato de a proposta não incluir na Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar 101/00) um percentual de recursos orçamentários para a Defensoria. Bessa explicou que muitos governadores utilizam esse argumento para negar recursos para a Defensoria.
O deputado Nelson Pellegrino disse que levará em conta essa questão em seu relatório. Ele pretende estudar também propostas apresentadas durante o processo de discussão da PEC. Entre os pontos que deverá abordar, informou, estão a emenda que suprime a proibição de os defensores públicos exercerem atividade político-partidária; os critérios de alocação dos defensores; e a estabilidade dos defensores que estavam em exercício em 1988, assim como a situação daqueles que já exerciam advocacia privada naquele momento. O relator ficou de analisar também a possibilidade de criação do Conselho Nacional da Defensoria Pública.


Reportagem - Vania Alves
Edição - Sandra Crespo

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 25 de Maio de 2017
Quarta, 24 de Maio de 2017
14:40
Cassilândia
13:00
Dicas de segurança
10:00
Receita do Dia
Terça, 23 de Maio de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)