Cassilândia, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

17/07/2010 04:11

Patrícia Amorim quer demitir Bruno por "justa causa"

Se o goleiro Bruno voltar a jogar futebol, dificilmente será vestindo a camisa do Flamengo. A presidente do clube, Patrícia Amorim, revelou que sua intenção é demitir o arqueiro, acusado de envolvimento no sequestro da estudante Eliza Samudio, por justa causa, além de cogitar a possibilidade de processá-lo por perdas e danos.

\"Para rescindir o contrato dele sem justa causa, o Flamengo teria de pagar 6 milhões de euros. Aí eu não podia ser irresponsável, agir só com paixão e dizer \"manda embora\", sob risco de prejudicar o clube. Exatamente por eu não ter competência na área criminal, reuni um conselho de notáveis para discutir e chegar a uma conclusão. E eles acabam de me recomendar a rescisão do Bruno por justa causa. Se exigirmos dele também compensação por perdas e danos, o valor que pediremos será igual o da rescisão\", declarou ela, em entrevista à Revista Época.

A comissão designada pelo clube é composta por sete profissionais da área jurídica: Mário Pucheu, advogado, Theophilo Miguel, juiz federal, os desembargadores Marcus Faver, Siro Darlan e Walter D\'Agostino, além dos desembargadores do trabalho Marcelo Antero e José da Fonseca Martins Júnior. A mandatária contou que a discussão quanto à possível rescisão do arqueiro durou duas noites e não houve unanimidade. Por ela, ele será desligado o mais rápido possível.

\"Tudo isso foi um baque enorme. Eu gostaria sim que ele fosse demitido por todo o desconforto e desgaste que causou ao Flamengo e aos torcedores, desde que não haja nenhum tipo de dano para o clube\", declarou.

Patrícia ainda falou sobre sua relação com Bruno, com quem coleciona reuniões desde que assumiu, devido às confusões em que o goleiro se envolveu: discussão com Petkovic, declarações preconceituosas sobre mulheres e desentendimento com a torcida.

\"Eu dizia ao Bruno que estava errado. Depois ele pedia desculpas, dizia que estava com a cabeça quente. Vinha me contar a história de ter sido abandonado, e ser criado pela avó. O problema é que o Bruno via a liderança sempre como uma postura para se impor berrando. Eu não precisava levantar a voz. Ele chegava na minha sala com uma postura de valente e saía com outra, dócil\", contou.

Além da presidente, o diretor-executivo de futebol do clube, o ídolo Zico, também externou nos últimos dias sua irritação com a situação envolvendo o goleiro. Antes de ser preso, Bruno estava treinando afastado do restante do elenco.


Por Gazeta Esportiva On line

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)