Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

26/05/2015 14:31

Paralisação deixará 16 mil alunos sem aula nas Universidades Federais de MS

Midiamax
Paralisação deixará 16 mil alunos sem aula nas Universidades Federais de MS

A paralisação anunciada durante assembleia realizada na manhã desta terça-feira (26), pela ADUFMS (Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) deixará 16 mil alunos sem aula nas UFMSs (Universidades Federais de Mato Grosso do Sul). O movimento será realizado na próxima sexta-feira (29), por conta do impasse nas negociações salariais.

Segundo o diretor financeiro da ADUFMS, Marco Aurélio, 1.320 professores e três mil administrativos reivindicam reajuste de 27% e reestruturação da carreira com progressão funcional de índice de 5% entre um nível profissional e outro. Atualmente o salário de professores graduados inicialmente para 20 horas aulas é de R$ 2.080,00, mestres R$ 4 mil e doutores R$ 8.600.

“Além da paralisação nacional na sexta-feira, já temos um indicativo de greve para o dia 15 de junho. Nesse tempo pretendemos construir um diálogo com o governo Federal para tratar sobre o reajuste”, afirma. Segundo Marco Aurélio, duas propostas já foram protocoladas e encaminhadas ao MEC (Ministério da Educação) e ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

“Entregamos as propostas em março e dezembro de 2014 e por conta da eleição presidencial, entregamos outra em março de 2015, mas até o momento não houve uma contraproposta do governo Federal, no entanto, até o momento as propostas não foram aprovadas e nem rejeitadas, estão em estudo”, ressalta.

Durante as negociações, o governo Federal concedeu aumento dos auxílios de alimentação, creche e saúde, mas os valores não foram revelados. O diretor financeiro da ADUFMS destaca apenas que os benefícios não são suficientes. “Queremos o reajuste porque é isso que faz a diferença”, declara.

O doutor Moacir Lacerda, de 59 anos, leciona na UFMS há 13 anos e destaca a necessidade de aumento. “O reajuste é justo. Trabalhamos para isso, vivemos em um estresse muito grande. Os melhores professores acabam indo para a iniciativa privada porque têm de sustentar a família”, enfatiza.

Ao todo são 16 mil alunos no Estado, entre eles, oito mil em Campo Grande. Além da Capital, Mato Grosso do Sul conta com universidades federais em Aquidauana, Chapadão do Sul, Corumbá, Coxim, Nova Andradina, Paranaíba, Ponta Porã e Três Lagoas. A paralisação deve ocorrer nas 64 instituições federais de ensino do país.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)