Cassilândia, Quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2020

Últimas Notícias

12/02/2020 15:30

Para prevenir reincidência, projeto da Agepen vai tratar agressores

Governo de MS

Como forma de contribuir para a quebra do ciclo da violência doméstica e colaborar com a mudança de visão e comportamento do agressor, a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) acaba de lançar o projeto “Um Olhar Além da Vítima”. O grupo reflexivo é voltado a homens autores de agressão que estão sendo monitorados por meio de tornozeleira eletrônica e se encontram em cumprimento de medidas protetivas de urgência.

Desenvolvido pela equipe multidisciplinar da Unidade Mista de Monitoramento Virtual Estadual (UMMVE), sob coordenação da direção, o trabalho conta com o apoio do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS), por meio da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica.

Conforme o diretor da UMMVE, Ricardo Teixeira de Brito, a ideia nasceu de um sonho e de uma necessidade de trabalhar o agressor para que ele não volte a reincidir. “A partir de uma palestra com a juíza Jacqueline Machado, abriu caminho para que pudéssemos desenvolver nosso projeto em parceria com o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, porque vamos aplicar uma metodologia que dá certo. Se salvarmos uma vítima, nós já estamos atingindo nosso propósito”, destacou.

O grupo será conduzido a partir do modelo já estruturado pelo Tribunal de Justiça e utilizado no projeto “Dialogando Igualdades”. Segundo a coordenadora Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica, juíza Helena Alice Machado Coelho, somente em Campo Grande, 40% das denúncias oferecidas pelo Ministério Público se referem à violência doméstica. Além disso, cerca de 80% dos agressores são reincidentes.

“Esses dados colocam a sociedade diante de grandes desafios de como enfrentar, combater, e quem sabe, erradicar a violência doméstica. A Agepen tem enfrentado esse desafio e tem realizado um grande trabalho quando se trata de monitoração eletrônica, que é ao meu ver, um meio muito eficaz e eficiente em casos como esses”, afirmou a magistrada, se colocando à disposição para novas parcerias.

Presente no evento, a subsecretária Municipal de Políticas Públicas para a Mulher, Carla Stephanini, fez questão de elogiar o trabalho desenvolvido pela agência penitenciária como um todo, que é tido como referência nacional. “E estamos agora observando aqui o cumprimento da Lei Maria da Penha, a qual prevê essa reeducação do agressor. Com projetos como esse, dentro de uma política pública adequada, vamos sim contribuir para a redução significativa da violência contra as mulheres”, parabenizou.

O diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, reforçou que a instituição está sempre em busca de parcerias e convênios para o desenvolvimento de ações que evitem a reincidência criminal, impactando diretamente na segurança de toda a população. “Somado a isso está o trabalho de nossos servidores, sempre com novas ideias e dedicação que fazem a diferença, como pode ser demonstrado nessa iniciativa”, elogiou.

Na oportunidade, também foi feita a abertura oficial do 3º Curso de Monitoração Eletrônica, que será desenvolvido durante esta semana aos servidores lotados na UMMVE. O evento contou ainda, com a presença de autoridades que atuam na área de execução penal como o juiz da Vara de Execução Penal do Interior (Vepin), Luiz Felipe Medeiros Vieira; o defensor público Pedro Paulo Gasparini; e as promotoras de justiça Renata Ruth Goya Marinho e Camila Augusta Calarge Doreto; além de servidores penitenciários e da Coordenaria da Mulher em Situação de Violência Doméstica.

Assim como na Unidade Mista de Monitoramento Virtual, um trabalho semelhante com agressores é realizado no Centro de Triagem “Anísio Lima”, unidade de Campo Grande que abriga o maior número de custodiados presos em regime fechado pela Lei Maria da Penha. O projeto “Por Respeito à Igualdade” também se baseia na ação da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica do Tribunal de Justiça.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 20 de Fevereiro de 2020
Quarta, 19 de Fevereiro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)