Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

14/02/2007 08:31

Para diretor, TV deve respeitar fuso horário local

Agência Brasil/ José Carlos Mattedi

Das medidas que regulamentam a classificação indicativa de programas, filmes ou qualquer obra de audiovisual exibidos na televisão, uma das mais criticadas é a que obriga as emissoras regionais a respeitarem o fuso horário local. O diretor do Departamento de Classificação Indicativa do Ministério da Justiça (MJ) e membro do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), José Eduardo Elias Romão, no entanto, defende a determinação. Para ele, o novo modelo protege as crianças de todo o país, sem diferenciações regionais.

Atualmente, os programas veiculados pelas tevês geradoras seguem o horário de Brasília e são exibidos nacionalmente, ou seja, um filme com classificação etária para as 23 horas que é levado ao ar nesse horário na Região Sudeste, no Acre entra às 20 horas, devido ao fuso horário. O Brasil tem quatro fusos.

Com a portaria 264/07 do MJ, publicada ontem (12), essa situação tende a mudar, com a obrigação de que as emissoras regionais respeitem o horário local e a faixa etária dos programas. A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) é a principal crítica da medida.

“Não há diferença entre as crianças do Acre e as do Rio Grande do Sul. Elas são iguais, têm direitos iguais, por isso devem ser igualmente protegidas”, defende Romão, sublinhando que a medida segue o que determina o artigo 254 do Estatuto do Menor e do Adolescente (ECA), que obriga as emissoras de tevê a exibir a programação de acordo com a classificação indicativa do Ministério da Justiça.

As tevês terão três meses para se adequarem à portaria. O monitoramento será feito pelo Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação (Dejus), do ministério. “Os pais vão poder opinar e reclamar, ajudando no monitoramento dos programas e dos horários. Assim, vamos investigar com maior rapidez aquilo que é inadequado”, disse Romão.

Os queixosos podem recorrer ao Ministério Público ou ao próprio Ministério da Justiça contra a programação que considerarem inadequada.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)