Cassilândia, Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

15/07/2015 16:41

Para atender grupo de elite e presídios, Agepen fará concurso com 500 vagas

Ricardo Campos Júnior, Campo Grande News

A Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Priosional) pretende abrir 500 vagas em concurso público para viabilizar abertura de novos presídios, suprir parte do déficit de pessoal e ajudar na criação da equipe de gerenciamento de crises. O diretor-presidente do órgão, Ailton Stropa Garcia, afirma que o edital deve ser publicado “o mais rápido possível”.

“Vamos procurar fazer processos seletivos sempre. Esse seria mais emergencial”, explica o gestor. Em outubro começará o treinamento de 70 servidores que irão compor o “grupo de elite” para agir em intervenções rápidas a rebeliões.

A ideia é que, no futuro, com novos incrementos no quadro de funcionários, esse núcleo seja independente das atividades de rotina nos presídios, tenha espaço próprio e fique à disposição exclusivamente para momentos de crise. Por enquanto, os funcionários continuarão com suas jornadas normais de trabalho e plantões podendo ser chamados em casos de tumulto.

Apoio – Atualmente a PM (Polícia Militar) é responsável por realizar escoltas de presos, acompanhar vistorias nas celas e ajudar a controlar os motins dos detentos. O diretor-presidente da Agepen esclarece que o apoio da corporação é fundamental e sempre continuará a existir.

“O grupo não substitui o Choque e jamais vamos deixar de ter o apoio da PM, pois em uma crise muito grande, quando a equipe de contenção não é suficiente, podemos solicitar a presença dos militares”, pontua Garcia.

Projeto – A criação do “esquadrão de elite” da Agepen dá início a uma série de iniciativas para aumentar a presença do órgão no sistema prisional. Conforme o diretor-presidente do órgão, à medida que novas seleções sejam feitas será possível destinar servidores para outras atividades hoje desempenhadas pela polícia, por exemplo, escolta de presos e vigilância. Assim, os militares poderiam voltar para as ruas e ajudar diretamente a população no combate ao crime.

“Nós temos estratégias para facilitar nosso trabalho com o passar do tempo. Vamos diminuir as escoltas instalando, em convênio com o Tribunal de Justiça, sistema para que os presos sejam ouvidos por teleconferências”, explica Garcia.

“Como vamos ter mais homens para realizar esse trabalho, no futuro, realiza-se o sonho de deixar a Agepen cuidar dos presos em todas as suas necessidades”, completa.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 20 de Novembro de 2017
Domingo, 19 de Novembro de 2017
11:00
Mundo Fitness
Sábado, 18 de Novembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)