Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

01/09/2015 15:51

Papa autoriza padres a perdoar católicas arrependidas por fazer aborto

Padre Antonio Maurílio

O papa Francisco anunciou nesta terça-feira que os padres de todo o mundo poderão conceder durante o ano do Jubileu o perdão às mulheres que abortaram e às pessoas que os realizaram, um pecado que considera um drama "injusto" e "uma derrota".

O anúncio foi feito por meio de uma carta ao presidente do Conselho Pontifício para a Nova Evangelização, na qual autoriza todos os padres durante o ano do Jubileu, que começa em dezembro, a absolver as mulheres que se arrependeram do aborto.


"Conheço bem as condições que conduziram (as mulheres) a esta decisão. Sei que é um drama existencial e moral. Encontrei muitas mulheres que levavam em seu coração uma cicatriz por esta escolha sofrida e dolorosa", escreveu o Papa que nasceu na América Latina, onde o aborto é ilegal em muitos países.


"Alguns vivem o drama do aborto com uma consciência superficial, quase sem perceber o gravíssimo mal que comporta um ato deste tipo. Muitos outros, porém, inclusive vivendo este momento como uma derrota, consideram não ter outro caminho por onde ir", completa.


"O perdão de Deus não pode ser negado a qualquer um que tenha se arrependido", ressalta o pontífice ao anunciar a medida excepcional.


"Eu decidi conceder a todos os padres para o Ano Jubilar (8 de dezembro de 2015 a 1 de setembro de 2016), apesar de qualquer questão contrária, a faculdade de absolver do pecado do aborto aqueles que o tenham praticado e arrependidos de coração pedem por isto o perdão", escreveu Francisco.


"Os padres devem se preparar para esta grande tarefa, sabendo conjugar palavras de genuína acolhida com uma reflexão que ajude a compreender o pecado cometido, e indicar um caminho de conversão verdadeira", explica.
Segundo as normas da Igreja, os bispos são os responsáveis por conceder o perdão de acordo com o caso.

O direito canônico considera o aborto uma falta particularmente grave que implica a excomunhão automática, exceto se a pessoa for forçada a fazê-lo.


Francisco, que convocou um jubileu extraordinário dedicado à "misericórdia", durante o qual a Igreja concede a indulgência plenária, deu o direito a todos os padres do planeta de conceder o perdão pelo aborto.


Este é um tema delicado, pois no passado, durante o papado de Bento XVI, a posição da Igreja sobre a questão era particularmente severa e chegou a apoiar em 2009 a excomunhão de uma mulher e dos médicos que ajudaram no aborto de uma menina de 9 anos violentada pelo padrasto, considerando que o estupor era "menos grave que o aborto".


Na carta, o pontífice explica ainda que o Jubileu deve ser entendido como uma "grande anistia" que absolve os pecados dos enfermos, dos idosos e dos presos.


"Que a todos eles chegue realmente a misericórdia do Pai que deseja estar perto de quem mais necessita de seu perdão", escreveu.


Indulgência
Aos detentos, a carta afirma, com o estilo particular do papa, que "nas capelas das prisões poderão ganhar a indulgência, e cada vez que atravessem a porta de sua cela, dirigindo o pensamento e a oração ao Pai, possa este gesto ser para eles o passo da Porta Sagrada, porque a misericórdia de Deus, capaz de converter os corações, é também capaz de converter as grades em experiência de liberdade".


Francisco envia na carta uma mensagem de reconciliação aos ultraconservadores do movimento lefebvrista da Fraternidade São Pio X, excomungados há três décadas por João Paulo II.


Ele afirma aos católicos que frequentam as igrejas nas quais os padres da Fraternidade de São Pio X celebram missas que o "Ano Jubilar da Misericórdia não exclui ninguém".

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)