Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

29/05/2004 09:54

Paim diz que governo será derrotado

Antônio Arrais / ABr

O senador Paulo Paim (PT-RS) afirmou ontem que o governo será derrotado no Senado, se insistir na proposta de salário mínimo de R$ 260, e contabilizou 53 votos, dentre os diversos partidos, inclusive da base governista, favoráveis a um valor maior para o mínimo.

Paim advertiu sobre o perigo que poderá representar um fechamento de questão, dentro da bancada do Partido dos Trabalhadores, em torno da medida provisória do mínimo de R$ 260. Segundo ele, a decisão poderá gerar a desobediência “de muitos deputados e senadores” e conseqüente expulsão desses parlamentares, o que representaria “um sério desgaste político para o governo Lula”.

Pelos cálculos de Paim, haveria hoje no Senado 53 votos contra a proposta do governo, sendo três do PT (o próprio Paim, Serys Slhessarenko (MT) e Flávio Arns (PR); 17 do PFL; 12 do PSDB, 3 do PSB, 5 do PDT, 3 do PL, 2 do PPS e 7 do PMDB (um terço da bancada), além do voto da senadora Heloísa Helena (sem partido-AL), expulsa do PT por divergir de orientações partidárias. Na Câmara, são 21 os deputados “rebeldes” do PT, que se manifestaram por meio de nota ontem (27).

Paulo Paim garantiu que, se a proposta do salário mínimo do governo passar na Câmara, será rejeitada no Senado, e calculou que haverá número suficiente no Senado, mesmo que haja uma desistência de até 15% dentre os senadores, que ele conta que votarão contra o governo. O senador gaúcho disse que, como aliado do governo, tem procurado ajudar ao governo, advertindo seus dirigentes sobre determinadas posições, como fez ao chamar a atenção para a inconstitucionalidade da contribuição dos inativos, que está sendo julgada no Supremo Tribunal Federal. Um pedido de vistas suspendeu o julgamento, quando estava em dois votos a um, pela inconstitucionalidade.

Segundo Paim, o governo tem três alternativas na votação do salário mínimo: fechar questão e expulsar os rebeldes; não fechar questão e perder a votação, que imporia outro valor para o minimo; ou, segundo ele, “construir uma saída negociada com outro valor que não o de R$ 260 e que pode ser o de R$ 275 proposto pelo relator da medida provisória”. O relator da MP do mínimo foi o deputado Rodrigo Maia (PFL-RJ).

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)