Cassilândia, Quarta-feira, 19 de Junho de 2019

Últimas Notícias

29/03/2015 15:48

Operário acha ossada humana que estaria há 12 anos enterrada em fossa

Estimativa é da polícia, com base em vestígios encontrados junto aos ossos. Próteses de silicone também foram encontradas durante escavação em MS.

G1MS
Ossos e próteses de silicone encontrados enterrados em fossa (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Ossos e próteses de silicone encontrados enterrados em fossa (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Uma ossada humana foi encontrada enterrada na fossa de uma empresa em Campo Grande no sábado (28). O delegado Enilton Zalla, da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac), acredita que o esqueleto estava soterrado há pelo menos 12 anos por conta dos vestígios. Havia próteses de silicone e uma calcinha com os ossos, o que indica que a vítima pode ser mulher.

O material foi encontrado por volta das 13h (de MS) na avenida Tiradentes, bairro Taveirópolis. Zalla relatou que um empregado da empresa estava retirando areia da fossa quando achou a ossada a aproximadamente dois metros de profundidade. Os ossos estavam divididos em três sacos de ração de cachorro que tinham, na data de fabricação, o ano de 2003. Isso, conforme o delegado, indica a antiguidade do soterramento.

“Pela estatura da bacia, pelo tamanho do fêmur, pelo crânio, era uma mulher que não devia ter mais de 1,75 metro. Parecia que o crânio tinha sinal de pancada”, detalhou o delegado, destacando que a morte pode ter sido violenta.

A Polícia Civil e a perícia recolheram o material e o levaram para o Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol). Lá, será feito levantamento para identificar a vítima. “O Imol vai fazer tentativa de identificação pela arcada dentária e extrair DNA para guardar e tentar identificar”, disse o delegado.

Zalla relatou que o silicone tinha número de série, fator que pode ajudar na identificação da vítima.

O caso será encaminhado para a Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios (DEH). O delegado orienta que pessoas que tiverem parentes desaparecidos desde 2003 entrem em contato com a polícia pelo 190.

De acordo com Zalla, o proprietário da empresa declarou que mudou-se para o local em 2009. Antes disso, a informação é de que havia um canil no local.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 19 de Junho de 2019
09:00
Santo do Dia
Terça, 18 de Junho de 2019
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)