Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

27/04/2005 13:17

Operadoras de saúde devem obter registro definitivo

Irene Lôbo / ABr

Termina no dia 14 de junho o prazo para que as operadoras de planos de saúde com registro provisório na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) requeirerem o registro definitivo de funcionamento. O prazo de 180 dias para obter a autorização definitiva está previsto na Resolução Normativa 85 da ANS, publicada em 7 de dezembro do ano passado.

Para obter o registro definitivo, as operadoras de saúde terão de apresentar documentos que comprovem sua regularidade jurídica, atuarial e contábil, os inventários das instalações e recursos administrativos. Também será necessário comprovar a integralização do capital mínimo para funcionamento e a chamada provisão de risco, ou seja, bens e capital que garantam o cumprimento dos contratos.

O presidente da Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge), Arlindo de Almeida, acredita que pelo menos 400 operadoras de pequeno porte, com até 10 mil clientes, não conseguirão obter o registro. Segundo ele, o mais provável é que a carteira de clientes dessas empresas seja repassada para outro plano de saúde.

"São empresas de pequeno porte, mas que têm uma certa significação por se tratar de empresas regionalizadas, de pequenas localidades onde a assistência médica é mais complexa, mais difícil. Elas fazem muita falta para a população dessa região, além de satisfazerem as necessidades das empresas maiores no sentido de atendimentos regionais", afirma.

Almeida também acredita que dificilmente as empresas de grande porte vão querer absorver as empresas que não conseguirem o registro definitivo, já que praticam custos e preços mais elevados que as regionais de pequeno porte. "Eu acho difícil, justamente por serem empresas de pequeno porte com dificuldades. Para que isso ocorra, deverá haver um reajuste de preço, mas aí as pessoas seriam oneradas justamente por não terem possibilidade de arcar com esses custos", explica.

As empresas eu não conseguirem cumprir as exigências para a obtenção do registro definitivo até o prazo estipulado pela resolução, terão cancelados todos os registros provisórios. Quem continuar atuando no mercado de assistência à saúde sem a autorização da ANS estará sujeito a multa diária de R$ 10 mil.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)