Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

11/07/2016 15:06

Olimpíadas - mais um vexame

Manoel Afonso

Quem não se lembra do massacrante noticiário quando o país foi escolhido para sediar as Olimpíadas de 2016? A onda de otimismo plantada pelo Governo passava a imagem de que o Brasil caminhava definitivamente para o seleto grupo olímpico, junto com os países do chamado Primeiro Mundo.


Além disso, o Governo argumentou de que parte das obras seria um legado para a população do Rio de Janeiro, solucionando assim velhos problemas de várias regiões da cidade. Formou-se na verdade um triunvirato – Planalto, Governo Estadual e Prefeitura Municipal do Rio – para dar sustentação ao Comitê Olímpico.


Mas as notícias vem mostrando, desde o início das primeiras obras, de que no Brasil os projetos estão sujeitos a mudanças e alterações no próprio cronograma devido a uma serie de fatores, ‘esquisitos’ ou injustificáveis. Neste cenário confuso e alvo até de denúncias diversas sobre a viabilidade técnica de projetos com custos muito além das previsões iniciais, as obras foram ganhando forma final.


Mas não contavam os idealizadores do arrojado projeto, de que a situação social e econômica do país entrasse numa grave crise, capaz de fomentar a indignação da opinião pública, questionando inclusive o custo benefício das Olimpíadas. A população carioca – sobretudo – vivendo os pesadelos nas áreas da saúde e segurança, vem se manifestando contra o cenário, incompatível com a grandiosidade do evento e da sua própria gente.


De forma antecipada, mas até justificada, já se faz a comparação com os gastos astronômicos para a realização da Copa do Mundo no Brasil, impulsionada pelas denuncias da Lava Jato sobre corrupção em várias obras de estádios de futebol principalmente.


Se as Olimpíadas não contagiou a população brasileira como evento, pode dizer que o desalento atingiu também os prognósticos quanto ao desempenho dos nossos atletas na competição. Aliás, já se fala de que o Brasil deverá ser – em toda história das Olimpíadas – o país sede com o menor número de medalhas conquistadas.


Assim, se não bastasse nossa participação pífia na Copa do Mundo de futebol que sediamos, há uma grande chance do vexame se repetir. O pior: além da lição, ficará a conta salgada dos custos nos ombros de todos nós.


De leve...

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)