Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

17/04/2015 13:42

Oito defensores disputam eleição de órgão com receita de R$ 115 milhões

Campo Grande News

Oito defensores públicos disputam a eleição para o cargo de defensor público-geral, que vai conduzir durante dois anos o órgão, que possui receita anual de R$ 115 milhões. A votação acontece hoje das 8h até às 18h, sendo que a apuração está prevista para durar 30 minutos, após a votação. Os três primeiros colocados integrarão a “lista tríplice”, que será enviada governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que fará sua escolha.

Cerca de 173 defensores públicos de todo Estado estão aptos a votar, sendo que cada um pode escolher três candidatos, com a opção de optar no mínimo por dois que estivem concorrendo ao cargo. O novo defensor público-geral terá mandato de dois anos, podendo ter uma recondução ao cargo.

Para participar deste pleito era preciso ter mais de 35 anos e estar estável na carreira como defensor público. Eles tiveram 30 dias de campanha para conversar com os colegas e propor discussões. Durante este período não foi realizado debates ou apresentações dos candidatos, cada um procurou fazer suas próprias movimentações.

Esta será a terceira vez em 34 anos de história, que a Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul vai realizar sua eleição democrática e compor sua lista tríplice. Até 2011, apenas os defensores de segunda instância podiam se candidatar, agora resta apenas cumprir os critérios citados acima.

Depois do resultado da eleição, a diretoria faz uma reunião e envia esta lista para o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que tem 15 dias para decidir sobre o cargo. O atual defensor-geral, Paulo André Defante, ponderou que na maioria dos casos a escolha é feita pelo candidato que obteve mais votos na eleição.

“Desde 2011 ampliamos este espaço a todos os defensores que desejam participar do pleito, nossos trabalhos tiveram um aumento significativo nos últimos anos, por isso a eleição é muito importante, por exemplo, em 2011 fizemos 200 mil atendimentos e em 2014 foram 331 mil”, ressaltou Defante.

De acordo com ele, a atual gestão investiu na estruturação do trabalho e que neste momento está aberto um concurso para 35 defensores, já que existem 92 cargos vagos. “Tivemos ações para termos locais mais adequados e suporte tecnológico, são 173 defensores e aproximadamente 300 servidores”.

Candidatos – Oito defensores estão concorrendo ao cargo principal da Defensoria em Mato Grosso do Sul, entre eles estão: Almir Silva Paixão, Carmen Silvia Almeida Garcia, Helkis Clark Ghizzi, João Miguel de Souza, Juliana Cláudia Honório Lyrio, Luciano Montalli, Olga Lemos Cardoso de Marco e Reginaldo Marinho da Silva.

João Miguel, defensor há 19 anos, ressaltou que vai lutar pela valorização da categoria e na defesa de seus direitos. Já Olga Lemos disse que tem duas metas, a primeira é valorizar direitos que estão sendo diminuídos e a segunda melhorar a estrutura física das comarcas.

Juliana Cláudia Honório, 11 anos como defensora, quer política de fortalecimento da instituição. O candidato Helkis Clark, que está na função por 11 anos, busca a união dos membros da instituição, assim como a elaboração de novos concursos, para suprir os cargos vagos.

Para Carmem Silva de Almeida, 16 anos como defensora, deve se melhorar a parte estrutural da Defensoria, com prioridade no atendimento de qualidade ao público. Já Luciano Montalli, 16 anos na função, lembrou que este trabalho é destinado a população mais carente e que a estrutura precisa estar completa. Ele também citou a conclusão do concurso que está em andamento.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)