Cassilândia, Segunda-feira, 29 de Maio de 2017

Últimas Notícias

22/04/2008 15:16

Oficiais criticam proposta de correção salarial

O presidente da Associação de Oficiais PM/BM de Mato Grosso do Sul, coronel Iacir Paulo Rodrigues de Azamor, disse que a proposta de correção da tabela salarial dos servidores prejudica o plano de cargos e carreiras dos profissionais. “O salário praticamente se transforma em subsídio; ficamos engessados”, explicou o dirigente, que representa 12 mil trabalhadores.

O líder do Governo na Assembléia Legislativa, deputado Youssif Domingos (PMDB), informou que o governador André Puccinelli (PMDB) enviará à Casa até sexta-feira (25) seis projetos de lei com as tabelas de reajustes dos trabalhadores, por categorias profissionais.

Ele se reuniu nesta terça-feira (22/04) com o presidente da AL/MS (Assembléia Legislativa de Mato Grosso do Sul), deputado Jerson Domingos (PMDB), e o deputado Coronel Ivan (sem partido). Segundo Azanor, a categoria defende a “horizontalidade no Sistema Judiciário Criminal”, com salários equivalentes às demais funções do Sistema.

O dirigente explicou aos deputados as atribuições dos oficiais e ponderou que a qualificação e o estresse sofrido pelos trabalhadores são constantes e devem ser reconhecidos. “Quem vai para a linha de frente diante de uma situação de risco, como no presídio no último fim de semana?”, questionou, referindo-se à rebelião no Centro de Triagem Anízio Lima, no Complexo Penitenciário de Campo Grande. Azamor informou também que o índice de suicídio entre os policiais militares é 20 vezes maior do que em outras profissões.

“O estresse é constante e o servidor muitas vezes passa fome mesmo”, afirmou Coronel Ivan, em relação aos policiais em início de carreira. “Muitos acabam pegando inúmeros bicos para complementar a renda e ainda se tornam suscetíveis à atos de corrupção”, analisou o parlamentar, que já foi comandante-geral da PM no Estado.

Deputados

O deputado Coronel Ivan reiterou que a categoria quer discutir com o governo a melhor forma de reajuste, que contemple os servidores e garanta o equilíbrio das contas do Executivo Estadual. “E ninguém está falando em greve, até porque os oficiais consideram a greve uma insubordinação e uma falta de respeito com a sociedade”, disse o deputado.

Os oficiais devem entregar hoje uma contraproposta de reajuste ao procurador-geral do Estado, Rafael Coldibelli.

A mobilização dos oficiais tem por objetivo evitar o que consideram perdas na proposta a ser enviada à Assembléia.

O projeto que trata da revisão linear - estipulada em 3% pelo Governo do Estado - já tramita na Casa de Leis.


(Fabiana Silvestre)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 29 de Maio de 2017
10:00
Receita do Dia
Domingo, 28 de Maio de 2017
Sábado, 27 de Maio de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)