Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

19/06/2009 07:46

Obrigatoriedade não é sinônimo de credibilidade, diz

Ivy Farias, Agência Brasil

São Paulo - A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que suspende a obrigatoriedade do diploma de jornalismo para o exercício da profissão, anunciada quarta-feira (17) em Brasília, divide opiniões de jornalistas ouvidos pela Agência Brasil. Segundo Edith Elek, editora em São Paulo, a credibilidade da informação não depende de uma faculdade. "A credibilidade é conquistada quando se demonstra competência, cultura e interesse, não só no jornalismo como em qualquer profissão", afirma.


Ela diz que a ética "se aprende na vida" e que é mais importante que o jornalista tenha uma boa formação do que um simples diploma. "Para quem tem habilidade, as técnicas de jornalismo são fáceis de serem aprendidas.Acho que os jornalistas devem ter algum diploma universitário, mas não necessariamente jornalismo".

Para Clóvis Rossi, "não há faculdade no mundo capaz de preparar quem quer que seja para a miríade de temas que a profissão coloca na pauta dos jornalistas". Segundo ele, a ética pode ser aprendida em qualquer faculdade. "Seria prepotência demais dos professores de jornalismo - e dos jornalistas - achar que detêm o monopólio da ética", completa.

Na opinião de José Hamilton Ribeiro, a não obrigatoriedade do diploma pode significar um retrocesso na profissão. "Antigamente, os repórteres eram recrutados na redação do jornal: motoristas, faxineiros, lixeiros, office boys, enfim, pessoas que conheciam a 'patotinha' e viravam jornalistas", comenta.

Ribeiro informa que uma pesquisa do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, de 1997, mostrou que 19 profissionais reconhecidos como jornalistas pelo próprio sindicato eram analfabetos. "As pessoas trabalhavam por um prato de comida", lembra.


Para ele, a decisão do STF foi "confusa". "Eles [os ministros] confundiram liberdade de expressão com exercício profissional. Liberdade de expressão é praticada por sindicatos, por um Judiciário independente e não por jornalistas, que cumprem ordens de suas empresas", disse.




Edição: Graça Adjuto

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)