Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

31/01/2006 07:34

OAB ajuiza ação contra redução do horário de atendimento

STF

O presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Roberto Antônio Busato, pede no Supremo a declaração de inconstitucionalidade de atos normativos do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, que reduziu o expediente de atendimento ao público nos cartórios judiciais – estatizados ou privatizados – das comarcas do Estado. O pedido do conselho foi feito por meio da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 3654, que pede a suspensão liminar da íntegra dos atos 46/2004, 78/2004 e 44/2005, todos do TJ/RS.

Os dispositivos questionados tratam de serviços de distribuição e contadoria das comarcas do Rio Grande do Sul, excluindo os serviços de protocolo e informações. Em setembro de 2004, o ato 46/04 autorizou por quatro meses a implantação de expediente interno de todas as comarcas do Estado, no turno da manhã, das 8h30 às 10h30. Vencido o prazo, o Conselho da Magistratura prorrogou por mais seis meses a implantação do expediente, mas com o ato 44/05, o prazo foi prorrogado até 30/06/2006.

Segundo o Conselho, o regime jurídico dos servidores públicos somente pode ser tratado por lei, considerada em sentido formal. Alega ainda que, ao criarem, por meio de ato administrativo, novo regime para seus servidores e para a prestação de serviço, o TJ/RS limita o acesso do cidadão ao Poder Judiciário. Nesse sentido, os atos normativos são contrários ao caput do artigo 37 e o artigo 5º, inciso XXXV da Constituição da República, por desrespeitarem princípios constitucionais da jurisdição.

“As normas impugnadas limitam o acesso do cidadão ao Poder Judiciário e, assim, acabam por causar danos irreparáveis a todos aqueles que pretendam tutela jurisdicional eficaz e adequada. Tal prejuízo renova-se dia a dia, prejudicando número expressivo e indeterminado de jurisdicionados no Estado do Rio Grande do Sul”, afirma Roberto Busato.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)