Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

14/03/2008 07:54

O recado do Cheida: Quem é que manda

Luiz Eduardo Cheida
Cassilândia NewsCassilândia News

Em uma roda pós-prandial, perdida no tempo do século XVIII, na velha Inglaterra, imersos na névoa de cachimbos e charutos, iminentes cientistas divagam:

- O triunfo da ciência é devolver ao homem o domínio sobre a criação que, em parte, ele perdeu com o pecado original – pondera Francis Bacon.
- Realmente! A ciência deve deixar claro a necessidade do império da espécie humana sobre as coisas da natureza – emenda John Beale.
- Veja, por exemplo, as lagartas – ajusta os óculos William Forsyth – seria de grande utilidade familiarizar-se com esses insetos (sic) pois, só desse modo, encontraríamos o método mais adequado para destruí-los.
- Observando o visco, esta planta de invulgar beleza, ocorreu-me que o Todo-Poderoso a destinou para fins mais avançados que apenas alimentar tordos ou ser dependurada nas casas para espantar maus espíritos. Deus a criou para curar a epilepsia humana! – entusiasma-se John Colbatch.

Na prece que antecedeu o jantar, o reverendo William Kirby já abençoara o mundo natural, com especial destaque aos animais:
- Os animais interessam apenas por sua preeminente utilidade para o gênero humano. Além do que, a verdadeira origem da sociedade humana está na associação dos homens para defenderem-se das feras.

Às vezes, o colóquio enveredava-se por sendas mais sádicas:

- Quebrar as asas deste pato selvagem...
- Despedaçar aquele cervo...
- Suspender no gancho o ganso...
- Esfolar aquele porco.
- Desmembrar o coelho...
- Mutilar esse pavão...
- Desarticular aquele caranguejo...
- Picar esse siri...
- Desjuntar o boi...
- Abrir a garça...

Imagina-se que diante de tanta carne cedida à civilidade humana, as trinta cópias da Bíblia de Gutenberg, que empregaram o couro de aproximadamente 5 mil bezerros, ali também não causava tanto embaraço.

Assim ia a animada conversa dos doutores que, em seu mundo de certezas, cerziam as idéias que, em nosso mundo, compraríamos como verdades absolutas.
Pérolas também saltavam da saleta ao lado, onde as esposas ensaiavam uma ou outra aterrissagem na vastidão daquele campo desconhecido:
- Montar um avestruz, em breve será o meio de transporte favorito, e certamente o mais rápido...
A previsão não destoava de todo da conversa masculina. Afinal, montar e manobrar um cavalo sempre simbolizou o triunfo da razão humana sobre as paixões animais.

Dessa forma, entre baforadas e preconceitos, durante séculos, os civilizados europeus edificaram o pensamento de seu mundo e do nosso. Muito do que padece hoje a civilização humana tem suas raízes nestes conceitos. Civilização humana, diga-se de passagem, sinônimo de conquista da natureza.

Assim temos concebido nossas relações com o mundo natural.
Não é por acaso nossa dificuldade em estabelecer uma conduta solidária para com os demais seres vivos. Afinal, foi um intenso adestramento. Estamos por demais amestrados.

Já sabemos quem manda.
Quando é que vamos desmandar?


Um forte abraço e até sexta que vem.



Luiz Eduardo Cheida é médico, deputado estadual e presidente da Comissão de Ecologia da Assembléia Legislativa do Paraná. Premiado pela ONU por seus projetos ambientais, foi prefeito de Londrina, secretário de Estado do Meio Ambiente, membro titular do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) e do Conselho Nacional de Recursos Hídricos.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)