Cassilândia, Sábado, 29 de Abril de 2017

Últimas Notícias

19/05/2007 08:47

O recado do Cheida - O canto do galo

*Luis Eduardo Cheida

A CTNBio aprovou esta semana o plantio e a comercialização do milho transgênio Liberty LinK, da Bayer. Assim como já aprovara o algodão e o soja transgênicos.

Na penumbra. E, sem mais trocadilhos, uma pena.

O Brasil, com o auxílio daqueles que, por ignorância ou conivência, o permitem vai, pouco a pouco, assimilando o lixo do mercado internacional.

E, nesta surda e suja guerra comercial travestida de profundos e sacros colóquios científicos, ficando sem as suas sementes, patrimônio nacional obtido em centenas de anos de suor e seleção.

O próximo passo é a aprovação do milho BT, resistente a insetos. O mesmo que expulsou a borboleta monarca do seu local de moradia, infringindo perdas ainda não calculadas às teias alimentares de seus seculares habitats.

Outras dez variedade de arroz, algodão e milho, aguardam sua vez para aprovação. Para todas, as mesmas justificativas: a redução de agrotóxicos e a conseqüente redução da poluição.

Que estranho – ouso pensar: justamente uma multinacional do agrotóxico empunhando a bandeira da redução de seu principal produto. A maior multinacional de agrotóxico quer reduzir o agrotóxico!

- Como o mundo está mudado, meu deuso do céu! – suspiro, olhando pra riba.

Alguém me condena:

- ´Xá de sê maldoso... Não vê que os home querem o nosso bem?

- Verdade. Até, por coincidência, a semente do milho da Bayer não morre com o glufosinato de amônia, o agrotóxico que também é só da Bayer. – lembro assim, de relance.

- O milho certo para o veneno certo – alguém expira, inspirado.

- E as herva daninha? – meu primo pára pra perguntar.

- Quéquitem elas?

- Ouvi falar que o veneno vai selecionando as mais resistentes e, depois de cinco a seis safras, a dose do remédio tem que aumentar.

- E a Bayer vai vender mais semente e mais veneno, é?

- É.

- Bem, mas aí já é culpa das herva, né cumpadi?

Falando tanto em milho, não posso deixar de lado o poema do patrício baiano, Junqueira Freire, morto na flor de seus 23 aninhos que, nos idos de 1850, já matava a charada:

(...)

Quando eu passar pelo cercado ao longe

abaixarás humilde o bico e a vista:

que eu sou o rei das mais gentis galinhas,

que eu sei erguer a minha régia crista


Há de seguir-te em toda a parte o espectro

de minha nobre e célebre conquista:

será manhã, - não cantarás teu hino,

nem jamais erguerás a régia crista.

Hás de sentir que eu fui valente antagonista:

- eu cantarei meu hino de triunfo,

tu correrás de minha nobre vista:

- tu, infamado, marcharás humilde,

eu erguerei a minha régia crista!

Corroer aos poucos o patrimônio biológico de um país, sob o pretexto de ajudá-lo, tendo vendidos e comprados compatriotas irmanados nesta causa, é o mesmo que trair a história da nação. Depois disso, só restará ao vencido abaixar humilde o bico e a vista, deixando que o comprador ande em solo pátrio erguendo a sua régia crista.

O poema se chama O canto do galo.

Três coisas delgadas sustentam o mundo, segundo os irlandeses: o delgado fio de leite que vai da vaca ao balde; a lâmina delgada do cereal verde que vem do chão; a fina linha de coser nas mãos da mulher experiente.

A Bayer parece saber disso melhor que ninguém.

Alguns de nossos patrícios também.

Um forte abraço e até sexta que vem.


*Luiz Eduardo Cheida é médico, deputado estadual e presidente da Comissão de Ecologia da Assembléia Legislativa do Paraná. Foi prefeito de Londrina, secretário de Estado do Meio Ambiente, membro titular do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) e do Conselho Nacional de Recursos Hídricos.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 29 de Abril de 2017
Sexta, 28 de Abril de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)