Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

20/04/2007 11:03

O recado do Cheida - Escalas de grandeza

Luis Eduardo Cheida

- Esse é o peixe-boi! – descrevi, do alto de minha sapiência, a foto esmaecida em um velho livro que guardo em casa.

- Cadê o chifre dele?

A investida da pergunta enfezada cutucou de tal forma meus conhecimentos que quase fura as minhas calças com os chifres do peixe que não era boi.

Quem perguntava, acomodado no meu colo, era o Pedro, meu filho de quatro anos. O mesmo que, dia desses, tentou entrar num formigueiro, forçando o dedão do pé no buraquinho que dá para a porta da frente da casa das formigas.

- Infinito é mais que quatro? – ele, de novo.

Claro que não, se quatro é tudo o que você sabe contar.

A seriedade destas perguntas encharcam a alma de ternura.

A lógica infantil é fulminante.

Fulminante, porque direta. Porque não comporta subterfúgios.

Do ponto de vista das alterações ambientais e suas repercussões planetárias, a espécie humana está em uma encruzilhada. E, nem todos temos elementos suficientes para decidir que caminho tomar.

Em momentos assim, a profusão de dados, teorias e tarefas apenas confundem.

Faltar água no Brasil? Só pode ser brincadeira.

Quequié 0,76º C a mais de temperatura, neste mundão varado de grande?

É nesta hora de Babel que sua bússola interior precisa falar mais alto.

A fim de encontrá-la, uma coisa parece certo: quanto mais você se farta das explicações inexplicáveis, quanto mais você se cansa das hipocrisias recorrentes, quanto mais você refuta a relativização do que deveria ser exato, mais se reaproxima de sua bússola, que sempre aponta para a velha lógica infantil, imolada no altar da maturidade.

Mas, quem disse que para amadurecer, é preciso sacrificar a inata beleza de ser sincero?

- Bem, você pode ser sincero mas, na sua idade vai parecer meio ingênuo... – dirão os mais experientes (e bem-sucedidos e tristes e deprimidos).

Isso posto, parece que, para agüentar o tranco, é necessário mentir.

Mentir que as coisas não são bem assim. Mentir que o que se vê não é o que parece. Mentir que todos pensamos da mesma forma e as diferenças são pontos irrelevantes. Mentir que se pode ir fundo, já que a natureza é infinita e inesgotável. Mentir que a conduta de nossa espécie para com as outras, é moralmente aceitável (afinal, nenhuma espécie até agora contestou). Mentir que tudo não passa de estórias de ecofanáticos que querem destruir a economia para entupirem a Terra de orgânicos insípidos, inodoros e incolores.

Mas, o bálsamo da dita voz da razão chama você, como quem diz:

- Veja bem, em verdade, nada disso são mentiras. São apenas coisas relativas. Depende do ângulo. As coisas não são pau ou pedra. É a maneira como se coloca. Uma coisa pode ser uma coisa e, dali a pouco, ser outra coisa...

E você responde o que para a voz que é só sua?

Enquanto você pensa, eu vou ficando por aqui.

Aliás, acho que fico com o meu menino.

Entendo agora porque quatro é mais que infinito: as coisas importantes são grandes; as coisas sem importância, pequenas. São só escalas de grandeza.

Quem sabe dá mesmo pra entrar no formigueiro, forçando um pouco mais o dedão? Melhor isso que ficar chamando de boi um peixe que nem chifre tem.

Ou um boi que nem peixe é.

Um mundo funcionando com tal franqueza, mano, é difícil acabar.

Um forte e sincero abraço e até sexta que vem.

..............................
Luiz Eduardo Cheida é médico, deputado estadual e presidente da Comissão de Ecologia da Assembléia Legislativa do Paraná. Foi prefeito de Londrina, secretário de Estado do Meio Ambiente, membro titular do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) e do Conselho Nacional de Recursos Hídricos.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)