Cassilândia, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

14/12/2004 14:04

O Ensino da Matemática na Educação Básica

Inep/Carlos Henrique Araújo

O aprendizado em Matemática na educação básica está abaixo do que seria aceitável. Esta é uma das principais conclusões extraídas dos resultados do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) de 2003. Para medir o desempenho, foram aplicados testes a uma amostra representativa de estudantes das 4a e 8a séries do ensino fundamental e 3ª série do ensino médio.

Na 4ª série do ensino fundamental, a média nacional foi de 177 pontos, quando o padrão mínimo seria uma média de 200 pontos, o que indica a aprendizagem de conteúdos e a consolidação de habilidades satisfatórias para quatro anos de escolarização. O escore mínimo esperado revela que os alunos são capazes de estabelecer relações entre medidas de tempo; identificar a troca de moedas com pequenas quantias de dinheiro; decompor um número natural em suas ordens; calcular o resultado de subtrações mais complexas; efetuar multiplicações com números de dois algarismos e divisões exatas por números de um algarismo e resolver problemas simples, utilizando dados apresentados em gráficos ou tabelas. Em todo o Brasil, pouco menos de 30% dos estudantes atingem o mínimo.

Contudo, é preciso agregar à reflexão pela média mínima, a distribuição porcentual das crianças por grupos de desempenho. Para esta forma de análise, foram criados quatro estágios: muito crítico, crítico, intermediário e adequado.

No estágio muito crítico estão 11,5% dos estudantes da 4a série; são alunos que obtiveram nota abaixo de 125 pontos. Suas habilidades em Matemática estão muito aquém do que seria esperado para um aluno de desempenho mediano e mesmo muito abaixo das esperadas para a 4a série. Para se ter uma idéia, são estudantes que não calculam o resultado de uma adição de números naturais com três algarismos.

O estágio crítico totaliza 40,1% do conjunto dos estudantes nas escolas brasileiras. Eles desenvolveram habilidades que os caracterizam como alunos de 2a e 3a séries do ensino fundamental. Calculam a área de figuras desenhadas em malhas quadriculadas e reconhecem a quarta parte de um todo, desde que com o auxílio de representação gráfica. Eles ainda resolvem problemas do cotidiano que envolvam somente pequenas quantias de dinheiro. No estágio intermediário estão os estudantes que obtiveram escore entre 175 e 250 pontos.

A melhoria do ensino da Matemática nas escolas brasileiras depende, principalmente, da melhor capacitação dos professores. É crucial que eles estejam bem preparados, e isso significa dominar o conteúdo daquilo que deve ser ensinado e conhecer as melhores estratégias para o ensino. Para os sistemas de ensino, seria essencial aproximar a pesquisa em educação matemática das séries iniciais. Os avanços nessa área devem ser incorporados ao funcionamento das escolas.

O ensino-aprendizagem da Matemática não deve restringir-se à mera automatização de procedimentos. Os alunos precisam ser incentivados a resolver um significativo número de problemas, sempre raciocinando sobre situações do cotidiano. Atividades pedagógicas que promovam a reflexão dos estudantes irão render bons frutos. Pode-se, por exemplo, organizá-los em grupos para fazer um censo da escola. Com esse exercício, eles poderão contar os alunos, os professores, os funcionários, saber quantos são os homens e quantas são as mulheres, trabalhar a noção de proporção e porcentagem, construir gráficos e tabelas, se possível utilizando recursos de informática.

Os professores podem organizar as crianças para visitarem o comércio e, na prática, trabalharem com contas, juros, medidas, transformações de medidas, dentre outras habilidades. Seria interessante promover, de forma contínua, a relação entre o ensino formal do conteúdo matemático e a investigação de situações do cotidiano por meio de tal conteúdo. Isso é possível e deve ser prática pedagógica já nos primeiros anos de escolaridade.

* Mestre em Sociologia é diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep/MEC
**Mestre em História Social é assessor da Diretoria de Avaliação da Educação Básica do Inep/MEC

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Quinta, 01 de Dezembro de 2016
11:00
Mundo Fitness
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)