Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

23/05/2006 16:42

Número de queimadas em MS é 70% menor que em 2005

Humberto Marques / Campo Grande News

Mato Grosso do Sul registra o período de menor incidência de queimadas dos últimos sete anos, conforme números do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis) relativos às notificações entre 1º de janeiro e 22 de maio, quando foram confirmados 338 focos de calor do Estado. O número é 70% inferior ao registrado no mesmo período de 2005, quando foram contabilizados 1.130 focos.

Márcio Yule, coordenador do Prevfogo (Sistema Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais), considera que a redução se deu pela boa ocorrência de chuvas registrada entre janeiro e março. Além disso, ele lembra que 2005 foi um ano muito seco, com a ocorrência de mais de oito mil focos de calor. “Quando temos um ano com as características de 2005, a tendência é de que o período seguinte não tenha uma quantidade grande de focos”, explicou.

Até agora, o período mais crítico foi a partir da segunda quinzena de abril, quando ocorreu o incêndio no Parque Nacional de Ilha Grande, na divisa com o Paraná, e que consumiu cerca de nove mil hectares da reserva. “Propriamente dentro de Mato Grosso do Sul não foram registrados grandes incêndios florestais até agora”, reiterou Yule.

Estiagem – A expectativa do coordenador é voltada para o período entre o fim de julho e setembro, época em que as condições climáticas são mais propícias para a ocorrência de incêndios florestais. Porém, uma antecipação do período de proibição das queimadas ainda será analisada, de acordo com os prognósticos climáticos: caso o período de seca se inicie antes do esperado (a partir do fim de julho), a medida será adotada.

No ano passado, diante do tempo seco e da alta incidência de focos de calor, a época de proibição de queimadas acabou adiantada. A medida é tomada anualmente por meio de uma portaria conjunta entre o Ibama e a Sema (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos), com o impedimento se estendendo de 30 a 45 dias – em 2005, o decreto valeu por 75 dias. “A suspensão ocorre normalmente de agosto até o início de setembro. Porém, no ano passado, a proibição de queimadas teve início em 1º de julho”, ressaltou Yule.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)