Cassilândia, Domingo, 20 de Maio de 2018

Últimas Notícias

26/01/2015 19:42

Novos deputados: esperar o que deles?

“Nossos parlamentares fritam bolinhos em outra galáxia, custam caro e criam leis impraticáveis”.

Manoel Afonso

Essa irônica definição do notável João Ubaldo Ribeiro, que a primeira vista pode ser considerada rigorosa demais, encontra apoio integral no imaginário popular brasileiro.


É o caso de que se questionar: será que a espetacular taxa de 43,5% de renovação registrada na Câmara Federal garante as mudanças esperadas? O leitor talvez não se lembre, mas das 513 cadeiras, 223 delas serão ocupadas por novatos. Mas o problema – ao invés da solução - está exatamente nisso. Nem todos aqueles parlamentares jovens na idade estão conectados a modernidade e aos anseios atuais. Muitos devem optar pelo apego ao anacronismo por várias razões.


Às vésperas da posse, muitos destes estreantes – em todos os quadrantes do país – ainda demonstram na mídia, excitação no lugar de razão, falta de equilíbrio e desconhecimento de suas atribuições e do papel do próprio congresso nacional. O que mais se fala – por exemplo – é no desenvolvimento e na proteção genérica das conquistas sociais, mas sem revelar a origem dos recursos. Mas infelizmente, pouco se fala em economia com redirecionamento das prioridades e dos gastos públicos.


A mesma análise pode ser aplicada – nas devidas proporções - a futura composição da Assembleia Legislativo de nosso Estado. Das 24 cadeiras, nada menos que 9 vão ficar com estreantes, de formação cultural e de partidos políticos diversos. São eles: Ângelo Guerreiro, Antonieta Amorim, Barbozinha, Beto Pereira, Flavio Kayatt, Graziele Machado, João Grandão, Renato Câmara e Rinaldo Modesto.


É natural que cada qual deles enxergue o mandato como oportunidade de prestar serviços a sociedade e por extensão corresponder às expectativas de seus eleitores. Nem podia ser diferente. Mas alguns deles devem usar o mandato como trampolim para as eleições municipais de 2016, como é o caso de Ângelo Guerreiro.


Mas os novos deputados precisam se ater à algumas regras coloquiais que regem o parlamento, onde não há espaço para as soluções mágicas da campanha eleitoral. Para isso, a intimidade com a Carta Magna, a Constituição Estadual e o Regimento Interno é indispensável desde o primeiro dia, sob pena do desconforto em plenário.


Resumindo: espera-se deles ética, equilíbrio, conhecimento e bom senso.


O país está carente disso.


De leve...
(Diário Digital)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 20 de Maio de 2018
Sábado, 19 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)