Cassilândia, Terça-feira, 26 de Setembro de 2017

Últimas Notícias

24/08/2017 14:00

Novo remédio para insuficiência cardíaca reduz mortes em 20%

EPharma Notícias

RIO — Chega esta semana às farmácias brasileiras uma nova classe de remédio para tratar insuficiência cardíaca que, segundo estudos, é capaz de reduzir em 20% o índice de morte desses pacientes e em 21% o número de internações. Isso promete melhorar muito o difícil prognóstico enfrentado até hoje por quem tem insuficiência cardíaca — apenas metade dessas pessoas está viva cinco anos após o diagnóstico.

O medicamento, chamado de Entresto — feito com as substâncias sacubitril e valsartana —, surgiu a partir de um estudo realizado na Escócia, teve aprovação nos Estados Unidos e na Europa cerca de dois anos atrás e conseguiu, agora, a definição de seu preço em terras brasileiras, após obter a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): uma caixa com 28 comprimidos do medicamento custa R$ 147.

A insuficiência cardíaca é uma doença debilitante e com alto risco de morte, já que o coração se torna incapaz de bombear a quantidade suficiente de sangue para o organismo. Isso acontece porque os músculos do coração se tornam fracos ou rígidos demais para trabalhar de maneira adequada. Como consequência, as hospitalizações dos pacientes são frequentes.

3 MILHÕES DE PACIENTES NO BRASIL

O problema atinge cerca de 3 milhões de pessoas no Brasil. Informações do DataSUS, do governo federal, em 2015, registraram 219 mil internações por insuficiência cardíaca. O custo da doença para a economia mundia chega a US$ 108 bilhões por ano — o equivalente a mais de R$ 342 bilhões, uma cifra espantosa. Para o Brasil, o impacto na economia é de R$ 22 bilhões.

A insuficiência cardíaca é a segunda causa de hospitalização em pessoas acima de 65 anos, e a taxa de mortalidade é maior do que a de vários tipos de câncer.

Uma pesquisa do Departamento de Insuficiência Cardíaca (DEIC) da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) traçou o perfil dos brasileiros com insuficiência cardíaca. Entre os principais fatores de risco no país estão: pressão alta (70%), diabetes (34%), histórico de infarto (27%) e insuficiência renal crônica (24%).Essa doença é mais comum em pessoas com mais de 65 anos e acima do peso.

Apesar de os homens apresentarem mundialmente maior prevalência do problema, no Brasil, segundo os dados da SBC, 60% dos pacientes diagnosticados são mulheres.

RENOVAÇÃO NO TRATAMENTO

Para o principal autor do estudo chamado de Paradigm-HF, que levou ao desenvolvimento do remédio, será possível mudar radicalmente o modo como esses pacientes são tratados a partir de agora:

— Os resultados impressionantes do estudo Paradigm-HF me levam a acreditar que, uma vez aprovado, o LCZ696 [antigo nome do Entresto] poderia rapidamente substituir o principal tratamento utilizado há mais de 20 anos, os inibidores da ECA — comentou o principal pesquisador, John McMurray, no final de 2015, ocasião em que o Comitê para Produtos Medicinais de Uso Humano (CHMP), órgão europeu, concedeu parecer positivo em relação ao medicamento.

O estudo liderado por McMurray, maior pesquisa clínica já desenvolvida para insuficiência cardíaca, envolveu mais de 8 mil pessoas e comprovou que esse medicamento é mais eficaz do que o que já existe de melhor atualmente, possibilitando que os pacientes acima de 65 anos vivam quase 1,5 ano a mais.

O pedido de aprovação do remédio à Anvisa foi submetido em junho de 2015, e, desde então, a expectativa era disponibilizar o medicamento aos brasileiros ainda no primeiro semestre de 2017.

Os principais sintomas da insuficiência cardíaca são falta de ar, fadiga, retenção de líquidos, inchaços nos tornozelos e pés e dificuldade de dormir, o que impacta de modo significativo a qualidade de vida. Ainda que milhões de pessoas vivam com o problema, a maioria delas tem dificuldade de reconhecer os sintomas ou os associam a sinais do envelhecimento.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 25 de Setembro de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 24 de Setembro de 2017
18:01
Município suspende aulas
11:00
Mundo fitness
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)