Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

21/12/2005 15:38

Novo minímo ainda indefinido

Ivan Richard / ABr

Não houve consenso na reunião no Ministério do Trabalho, em Brasília, entre o governo e representantes das centrais sindicais sobre o reajuste do salário mínimo e a correção da tabela do imposto de renda. Depois de quase três horas de discussão, ficou agendado um novo encontro - o quarto - para o dia 11 de janeiro, para rediscutir o assunto.

Para o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, não existe impasse, mas a construção de um processo de negociação. "Na medida em que o Congresso votará o orçamento só no início do ano, marcamos uma reunião para o dia 11 de janeiro com a intenção de fechar as negociações", disse. Segundo Marinho, o governo ainda não estipulou nenhum valor para o reajuste do mínimo, a não ser os R$ 321 que consta na Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO).

"O governo só anuncia quando o valor estiver fechado. Evidente que há disposição do governo de avançar este valor (R$ 321), mas o valor a ser divulgado será o que nós concluirmos no processo de negociação", afirmou Marinho. O ministro explicou ainda que quando se anuncia um determinado valor e ele não é aceito, se torna "um valor queimado, do ponto de vista das negociações", o que para ele, seria um erro.

O ministro deixou claro que a intenção das centrais sindicais, de reajustar o salário mínimo a R$ 400 reais, não será aceita. "Isso seria impossível, não por falta de vontade do governo, mas há impossibilidade orçamentária e mesmo as prefeituras não suportariam um valor nessa natureza e a previdência também. Temos que construir um valor suportável por parte do orçamento, das prefeituras e dos estados, e que seja aceitável pelas centrais sindicais".

Participaram da reunião os ministros do Trabalho, Luiz Marinho, da Secretaria Geral da Presidência da República, Luiz Dulci, e da Previdência, Nelson Machado, além de dirigentes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, Central Autônoma dos Trabalhadores, Central Geral dos Trabalhadores do Brasil, Confederação Geral dos Trabalhadores e Social Democracia Sindical.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)