Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

16/06/2009 07:09

Novelas do SBT

Vende-se um Véu de Noiva

Rubens Baronese e Maria Célia contemplam a paisagem paradisíaca de a Ilha do Profeta. Maria Célia está grávida e o casal faz planos de ir morar na ilha quando o bebê nascer. Rubens presenteia Maria Célia com um lindo colar com pingente. Na praia, os pescadores se preparam para uma pesca em alto mar. Irani, uma caiçara, se aproxima de Zé, um pescador, mas ao ver Ulisses, também pescador, ela se joga em seus braços. Ulisses conta a Zé que marcou uma reunião com Rubens Baronese. Zé não aprova e é grosseiro com Ulisses. Walter, pai de Irani, pergunta da filha para Daura, sua esposa. O casal é dono de um restaurante à beira mar. Ao saber que a filha está com os pescadores, Walter fica bravo. Ele pede para Rita, sua filha mais velha, chamar Irani. Na mansão dos Baronese, Rubens Baronese, Maria Célia e tia Cora fazem um lanche à beira da piscina. Eunice, prima de Maria Célia, chega à mansão da família. Eunice conta que depois da morte de seus pais a única pessoa da família que lhe resta é Maria Célia. Tia Cora aconselha Rubens a não hospedar Eunice em sua casa. Rubens diz que a visita de Eunice fará bem a Maria Célia. Maria Célia mostra a casa para Eunice, que fica deslumbrada diante do luxo. Irani tem uma discussão com o pai, Walter. Ele não quer que a filha se envolva com pescadores. Fabrício Vilela, empregado de Rubens Baronese, organiza os preparativos para a festa da Baronese Pescados. Rita e Irani chegam ao local e deixam as encomendas com Fabrício Vilela. Rita nutre um sentimento pelo rapaz e fica encabulada ao vê-lo. Maria Célia convida Eunice para a festa da Baronese Pescados e diz para a prima escolher uma de suas roupas. Ao chegar no quarto, Rubens flagra Eunice trocando de roupa. Ele fica constrangido. Eunice, que está de calcinha e sutiã, simula uma timidez. Isabel, empregada da casa, presencia a cena. Tia Cora fica desconfiada a respeito da chegada repentina de Eunice. Isabel conta a tia Cora que Eunice pegou vestidos e joias de Maria Célia. Tia Cora revela a Isabel que não teve uma boa impressão de Eunice. Maria Célia, Rubens Baronese, tia Cora e Isabel estão prontos na sala da mansão, à espera de Eunice. Todos ficam surpresos com a transformação da moça, ao vê-la. Na festa, antes de dar início às comemorações, tia Cora agradece a presença dos convidados e passa a palavra para o sobrinho, e também sócio da Baronese Pescados, Rubens. O cicerone diz ao grande público que é um dia especial para a empresa, pois continuará o trabalho de Fernando Lee, na Ilha do Profeta. Durante a cerimônia, Rubens revela aos convidados que a Baronese Pescados será a primeira empresa da região a se preocupar com o meio ambiente. Na praia, Zé avista Irani tomando banho de rio sem a parte de cima do biquini. Zé entrega um anel a Irani e pede a moça em casamento. Irani recusa o pedido de Zé, que fica possesso. Durante a festa da Baronese Pescados, tia Cora observa o comportamento de Eunice. Contrariado por Irani, Zé a agarra à força. Ela tenta se livrar dos braços dele a todo custo. Na festa da Baronese Pescados, Rubens chama Maria Célia para dançar, mas ela está indisposta por conta da gravidez. Maria Célia pede para Rubens Baronese convidar Eunice para dançar.


Dona Beija

Valdo volta do arraial, conta o que aconteceu com Beija e pergunta a Antônio se ele está por traz da agressão. Ele garante que não sabe de nada, mas não consegue convencer o amigo. Revoltado com a agressão sofrida por Beija, Fortunato diz a João que ela vai sofrer muito quando puder ver o que fizeram com seu corpo. Genoveva vai até a fazenda dos Sampaio, conta o que aconteceu com Beija e comenta que no arraial estão dizendo que Antônio foi o mandante do crime. Aninha se recusa a acreditar que seu marido tenha sido capaz de tamanha crueldade. Avelino escreve para João Mendonça e Josefa fica abalada ao receber a carta. Beija recobra a consciência sentindo muitas dores e Fortunato garante que fará tudo que for possível para que ela não fique com marcas. O delegado intima Candinha e as meninas para depor no caso da agressão sofrida por Beija. Durante o depoimento ele tenta resolver o caso sem envolver pessoas influentes, acusa as prostitutas e dá a elas voz de prisão. João lê a carta de Avelino e conta para a mãe que o amigo está muito doente e decidiu voltar para o arraial. Belegard afirma para Costa Pinto que Candinha confessou o crime, mas o juiz não se convence e pede provas. João também não acredita e acusa o delegado de ter escolhido o caminho mais fácil para encerrar o caso. João encontra Antônio no arraial e promete colocá-lo na cadeia assim que conseguir provar que ele foi o culpado.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)