Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

16/08/2005 16:46

Novas regras para empréstimo podem prejudicar a safra

Famasul Notícias

Durante reunião realizada no início da tarde desta segunda-feira (15/08), na Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) o superintendente estadual do Banco do Brasil, Marcos Galles explicou as novas regras para o custeio da safra 2005/06. Apenas produtores que contraíram empréstimos na safra passada podem pedir o recurso. O Banco vai disponibilizar R$ 1,2 bilhões o mesmo valor do ano passado. Para o presidente da Famasul, Léo Brito, a área destinada a agricultura no Estado pode “até ser expandida, mas com uma redução de 60% nos investimentos em tecnologia e consequentemente na produtividade”.

Galles esclareceu que a demora na disponibilização dos recursos foi decorrente do atraso na contabilização dos dados da safra passada. “Normalmente o banco recebe as normas na segunda quinzena do mês de junho. Esse ano o banco recebeu os dados mais tarde. Após a contabilização foi possível estabelecer um orçamento de quanto seria disponibilizado para a safra. Por isso, os recursos oficiais são menores na safra anterior, porque o volume da prorrogação foi bastante expressivo. Só em Mato Grosso do Sul, prorrogamos 3.600 operações, com um valor estimado de R$360 milhões”, afirma o Superintendente.

Os produtores que já prorrogaram a dívida são considerados aptos pelo banco para o crédito rural. Já aqueles que estão inadimplentes e não tem como pagar, existe uma expectativa para que as parcelas vencidas em julho e agosto sejam prorrogas para fevereiro, março e abril. Essa portaria ainda não foi autorizada pelo Governo Federal, caso não seja autorizada, os produtores serão considerados inadimplentes, como prevê o contrato.

Para o vice-presidente da Famasul, Ary Basso, existe uma preocupação por parte dos produtores com a alta dos juros, estipulado em 8,75%, para créditos de até R$50 mil. “O produtor não está vendo um preço bom nas próximas safras. Nenhuma empresa está pagando um preço bom pelo milho, trigo ou soja. O produtor está com muita cautela, pois a safra passada deu muito prejuízo. Com certeza será reduzida área e investimentos, por causa da falta de recursos e por falta de um preço seguro, para se vender o produto”, completa o vice-presidente.



Thiago Fraga

Decom-Famasul

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)