Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

29/11/2005 04:06

Nova testemunha diz que Celso Daniel foi seqüestrado

Bruno Bocchini/ABr

Uma nova testemunha, ouvida ontem (28) pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos, trouxe outra versão para o seqüestro e assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel. Segundo um dos promotores do caso, Roberto Wider Filho, que acompanhou o depoimento, a testemunha disse que o crime ocorreu por um desentendimento relativo à campanha para prefeito, no ano 2000.

A testemunha, que não teve sua identidade revelada, foi ouvida na capital paulista pelos senadores Magno Malta (PL-ES), Eduardo Suplicy (PT-SP) e Romeu Tuma (PFL-SP). Segundo a testemunha, o seqüestro do ex-prefeito teria sido realizado para pagar uma dívida que Sérgio Gomes teria assumido com um traficante, que atuava também no negócio de lotações. O traficante teria entregue a Sérgio Gomes da Silva R$ 1,5 milhão com a finalidade de financiar a campanha de 2000 de Celso Daniel. Em troca, a prefeitura de Santo André beneficiaria o traficante regularizando suas lotações.

De acordo com o depoimento da testemunha, relatado pelo promotor, Celso Daniel não teria autorizado a regulamentação das lotações. Com a recusa do prefeito, o traficante teria passado a exigir de Sérgio Gomes a devolução do dinheiro.

"O objetivo do seqüestro era obter R$ 3 milhões. Um milhão e meio pagaria isso [a devolução do dinheiro da campanha] e um milhão e meio de lucro para as pessoas que participaram do crime", explicou o promotor. Segundo ele, a testemunha afirmou que durante a execução do seqüestro, orquestrado por Sombra, Celso Daniel teria reconhecido um dos autores e por isso teria sido assassinado.

O promotor Roberto Wider avaliou que a nova versão apresentada entra em contradição com diversas provas já colhidas pela promotoria. Mesmo assim, segundo ele, a versão será levada em consideração. Wider ressalta, no entanto, que a versão que o Ministério Público de São Paulo sustenta é a de que Celso Daniel tinha conhecimento e concordava com o esquema de corrupção do financiamento de campanha eleitoral.

"E, no instante em que ele percebeu que o dinheiro era desviado mais para o bolso dos membros da quadrilha do que para a campanha, ele tomou medidas contra a quadrilha e por isso ele foi assassinado. Em relação a essa conduta do Celso Daniel, eu tenho uma prova bastante forte", disse.

Em contraposição ao promotor, o senador Magno Malta (PL-ES), presente também no depoimento, disse acreditar que o novo depoimento esclareceria o caso. "É uma testemunha que fecha esse caso que envolve a morte de Celso Daniel", disse.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)