Cassilândia, Quarta-feira, 01 de Março de 2017

Últimas Notícias

06/08/2016 14:58

Norte-americana surpreende e fica com a primeira medalha de ouro da Rio 2016

Nathalia Mendes - Enviada Especial do Portal EBC

 

A norte-americana Virginia Thrasher atingiu o ápice de sua meteórica carreira ao inaugurar o lugar mais alto do pódio nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A primeira medalha de ouro entregue na edição carioca foi parar no peito da garota que sonhava em ser patinadora artística e acabou tornando-se campeã olímpica na carabina de ar 10m.

Ginny – como é conhecida por seus compatriotas – desistiu do esporte de inverno e entrou no time de tiro esportivo de sua escola de ensino médio com 15 anos. Os primeiros tiros foram dados na companhia de seu avô, que a levava para suas caçadas. Quatro anos depois, no Centro Olímpico de Deodoro, ela desbancou as chinesas Du Li e Yi Siling, cada uma com uma medalha de ouro no currículo, e garantiu o título. Desde 1992, quando a sul-coreana Yeo Kab-Soon venceu a disputa aos 18 anos, não havia uma campeã tão nova.

“Nem nos meus sonhos mais loucos eu pensava em vencer. Eu esperava chegar às finais, e sabia que, se eu chegasse lá, tudo poderia acontecer. Só queria dar o meu melhor e dar um tiro de cada vez”, confessou a medalhista de ouro, que venceu com 208.0 pontos somados. A segunda colocada, Du Li, campeã da prova em Atenas 2004, parou nos 207.0 pontos. Yi Siling, vencedora em Londres, ficou com o bronze, atingindo 185.4 pontos.

Até então, os melhores resultados de Virginia na elite da carabina de ar 10m haviam sido o 27º lugar na etapa da Copa do Mundo de Gabala, em 2015, e a 28ª colocação na fase do torneio disputada no Rio de Janeiro, neste ano. Mas suas exibições nos campeonatos universitários dos Estados Unidos alçaram-na ao posto de fenômeno do esporte. Após conquistar cinco medalhas no campeonato nacional da modalidade e garantir uma das vagas olímpicas nas seletivas norte-americanas, Virginia passou a ser apontada como um dos jovens talentos que poderiam surpreender no Rio de Janeiro.

“Para minha primeira experiência olímpica, voltar com qualquer medalha já seria fenomenal. Tornar-se campeã olímpica com apenas 19 anos é inexplicável”, admite Virginia. “O sentimento é de um orgulho imenso de ter levado a primeira medalha de ouro dos Jogos, e a primeira do meu país. Estou muito feliz de estar aqui”.

A conquista de Virginia coloca os Estados Unidos como o maior campeão da prova: são três ouros para o país, seguido pela China, que soma dois. A novata junta-se à Nancy Johnson, ouro em 2000, e Pat Spurgin, campeã em 1984.

Nervosismo atrapalha brasileira

A única brasileira da prova, Rosane Budag, terminou a fase classificatória em penúltimo lugar, com 396.9 pontos somados. “Foi o pior desempenho que já tive. Fiquei muito nervosa e a técnica não funcionou como deveria. Levei muito tempo para entrar na prova. A minha primeira série foi até melhor do que a segunda. Quando vi o tempo, me desesperei”, conta ela, que sentiu o peso de competir em casa.

“A pressão do evento, por ser Olimpíada, por ter amigos meus no público, acabou pesando. Eu não tinha expectativa de ficar nervosa e estava bem tranquila. Mas o ensaio já foi péssimo. Esta é a prova que tenho mais dificuldade, e para a prova de três posições, que é minha especialidade, tentarei encarar como se fosse mais uma competição, um treino em casa. Hoje deu tudo errado”.

Edição: Luanda Lima

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 01 de Março de 2017
Terça, 28 de Fevereiro de 2017
Segunda, 27 de Fevereiro de 2017
Domingo, 26 de Fevereiro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)