Cassilândia, Quinta-feira, 24 de Maio de 2018

Últimas Notícias

18/12/2007 07:00

Negada liberdade provisória a médico acusado de aborto

TJGO

A juíza Zilmene Gomide da Silva Manzolli, da 2ª Vara Criminal de Goiânia, negou liberdade provisória, através de fiança, ao ex-médico Antônio Carlos da Silva Francisco, que está preso desde 19 de setembro, acusado de realizar abortos em uma clínica de sua propriedade no Setor Universitário. No pedido, o ex-médico argumentou que a pena privativa a ser aplicada, em caso de condenação, não ultrapassará dois anos de reclusão e que a concessão da fiança é meio eficaz de impedir a reiteração delitiva.

Acrescentou que teve a inscrição de médico cassada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), o que o impedirá de exercer a profissão de médico e inibirá supostos pacientes a procurá-lo, uma vez que não trará segurança a qualquer pessoa para ser submetido à prática a que responde. Afirmou ainda que, voltando a praticar a medicina, estará também incorrendo em mais um crime, a prática profissional sem autorização do CFM. O Ministério Público manifestou-se favoravelmente à concessão da fiança.

Ao analisar o pedido, Zilmene Gomide levou em consideração o cabimento ou não da fiança e se a cassação do registro profissional do réu fez desaparecer o motivo da decretação de sua prisão preventiva. Segundo a juíza, é evidente a imprescindibilidade da segregação do ex-médico para garantia da ordem pública. Explicou que há provas da reiteração delitiva do réu, "bem como de ser o mesmo tendente à prática de crimes da mesma espécie" – ele já foi preso acusado de tráfico, de estelionato e de aborto sem consentimento da gestante.

De acordo com Zilmene Gomide, o argumento de que o fato de não mais possuir registro profissional inibirá pacientes de procurá-lo demonstra "fraqueza e inocência jurídica". Ela explicou que o sujeito ativo do crime de aborto é qualquer pessoa, não interessando se o autor seja ou não médico autorizado ao exercício da profissão. Segundo a juíza, somente o aborto legal, previsto no artigo 128 do Código Penal, é que exige capacidade penal especial em função da norma permissiva.

A juíza afirmou que a cassação do registro no CFM impede a prática legal da medicina e não de cometer o crime de aborto de forma clandestina. "Acreditar que o fato de o réu não poder mais exercer legalmente a medicina, e que caso o faça poderá cometer o crime de prática ilegal de profissão, irá seguramente demovê-lo do cometimento de outros crimes de aborto é crer nas estórias infantis, é deixar de lado o bom senso que deve ter o julgador criminalista no momento de sopesar os direitos individuais e os coletivos, para se chegar à prevalência de um dels", afirmou Zilmene Gomide. (João Carlos de Faria)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 24 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Quarta, 23 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)