Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

17/12/2015 10:05

Nas ruas, drama do WhatsApp mostra como é difícil conversar de outra forma

Paula Maciulevicius, Campo Grande News
Mãe ri e diz que prefere abraços, olho nos olhos e o contato físico mesmo. (Foto: Fernando Antunes)Mãe ri e diz que prefere abraços, olho nos olhos e o contato físico mesmo. (Foto: Fernando Antunes)

 

"Hoje o dia amanheceu suspeito, porque não existe uma mensagem. Você não recebeu nada, não consegue falar com ninguém. Eu nunca pensei que isso ia acontecer agora". Estudante de Odontologia, Wellington Massaruha, de 23 anos, narra o drama do que serão as próximas horas. Sem WhatsApp, o celular voltou a ganhar os bolsos e as mochilas e não está mais nas mãos.

Numa volta pela cidade no início da manhã deste primeiro dia sem WhatsApp o que se viam eram pessoas de mãos livres e olhos mais atentos. O assunto do dia é a falta do aplicativo. Quando foi que a gente desaprendeu a conversar de outra forma?

As palavras carregadas de sentimento mostram Wellington, um rapaz que, de férias, não sabe o que fazer. No ponto, ele aguardava o ônibus ouvindo música. Com quantas pessoas conversou hoje? Sem Whats, ele responde que ninguém. Se o aplicativo estivesse funcionando, seriam pelo menos 10, do grupo que faz parte, contabiliza o jovem.

Estudante retrata o drama de um dia suspeito e que ele achou que nunca fosse chegar. (Foto: Fernando Antunes)
Estudante retrata o drama de um dia "suspeito" e que ele achou que nunca fosse chegar. (Foto: Fernando Antunes)
"Vai ser meio cabuloso o dia, meio deprê, bem difícil mesmo..." Quando chegasse em casa ele tentaria baixar os aplicativos alternativos, tudo para tentar se comunicar.

De celular nas mãos, o taxista Elton Pereira, de 26 anos, mostrava o que dele estava funcionando normalmente. Sem baixar nenhum outro programa, ele conseguia se comunicar com os grupos. "Só ouvi falar que dava para funcionar com outros aplicativos, mas não baixei não. Se realmente sair do ar, as pessoas vão procurar", comenta. Ele acredita que por conta da operadora é que ele continuou com a ferramenta ativa.

Logo à frente dele, o contador que é gerente de uma lanchonete, Jeffeson Corrêa, de 43 anos, só tem a dizer que: as pessoas passaram a conversar (com a voz e não com os dedos) e que o assunto era o Whats. Agoniado, desde às 6h da manhã ele tentava fazer o aplicativo funcionar.

"As pessoas estão puxando assunto hoje e até trocando números de celular para ver se conseguem se comunicar. Sim, se falavam nos olhos, mas ainda assim: o assunto era um só", descreve. E foi um dos clientes que o aconselhou a baixar o VPN, rede privada virtual que evita que seja detectado localidade ou localização do usuário. Ao selecionar outro país que não o Brasil, se "engana" a rede e o WhatsApp, que está suspenso só aqui, volta a funcionar.


Fora ele tem ainda outros aplicativos como o Viber e o Telegram. No entanto, para continuar com o ritmo frenético de mensagens, é preciso que todos os seus contatos também "migrem" para as ferramentas que estão prestes a salvar o mundo.

Acordar hoje, para Luana França, de 15 anos, foi terrível. "Porque você olha e não tem nenhuma mensagem, nada. Nem áudio. Como eu vou viver assim? Meus amigos, cadê? Estou sem vida social". A mãe, ao lado, cai na risada e diz "adolescentes"...

A menina chegou em casa na noite de ontem acreditando que não passava de um boato. Mas se desesperou. Agora o celular anda na mochila, porque segundo ela, não serve mais pra nada. A mãe, professora Maria Emília França, de 39 anos, diz que também usa, mas só para se manter atualizada nos grupos da faculdade.

"Eu prefiro o abraço, a conversa nos olhos, as coisas físicas", descreve. A conversa no caminho de casa até o Centro da cidade foi feita no diálogo verbal mesmo e as mãos de Luana ganharam um livro. Sobre as próximas horas, a menina diz que vai ficar tentando e testando: "- Oi, oi, oi. A hora que mandar, vai ser o melhor momento da minha vida", diz.

Por enquanto a saída será usar o messenger do Facebook e quem sabe, voltar a ligar. A última hipótese é descartada por quase todo mundo. Sobre aproveitar o tempo para se "desintoxicar", ninguém quer curtir assim não. Preferem mesmo é viver o luto de dois dias sem conversar.

Bloqueio - O Whatsapp está bloqueado no Brasil desde a meia-noite desta quinta-feira (17). A decisão da Justiça, de tirar o aplicativo do ar por 48 horas, foi expedida por conta de descumprimento de ordem judicial de julho deste ano.

De acordo com Tribunal de Justiça de São Paulo, o WhatsApp não atendeu a uma determinação judicial de 23 de julho deste ano. Em agosto, no dia 7, a empresa foi notificada mais uma vez, fixando multa, caso não cumprisse.

O Tribunal não explicou as causas das notificações. Como a empresa não obedeceu à ordem, o Ministério Público requereu o bloqueio do serviço por dois dias, com base na Lei do Marco Civil da internet.

Fundador do Facebook e dono do WhatsApp, Mark Zuckerberg condenou nesta quinta-feira o bloqueio do aplicativo. Ele afirmou que estão trabalhando para reverter a decisão e que este é um dia triste para o Brasil. “Estou surpreso que nossos esforços para proteger os dados dos usuários resultem em uma decisão extrema de um único juiz que pune a cada pessoa no Brasil que usa o WhatsApp”, disse.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)