Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

10/05/2005 06:27

"Não haverá coelho tirado de cartola", rechaça Palocci

Alana Gandra/ABr

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, descartou que estejam sendo estudadas novas medidas pelo governo para o combate à inflação. A afirmação foi feita hoje, no XVII Fórum Nacional, na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, no Rio de Janeiro. Palocci contradiz o que presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, teria declarado hoje, na Suíça, que estavam sendo estudadas novas medidas.

"O combate à inflação se dá pela política monetária, mas ele é respaldado por uma série de iniciativas importantes. E isso o governo tem feito", assegurou, citando entre essas medidas a elevação do esforço fiscal. "São instrumentos que o governo vai utilizando para que, ao longo do tempo, produzam efeitos positivos na economia e auxiliem tanto no campo fiscal como no campo monetário o esforço que o governo tem", disse o ministro.

Palocci garantiu, porém, que não haverá mágicas. "Não haverá coelho tirado de cartola. Aliás, não existe coelho nem cartola na política econômica. O que nós vamos sempre é trabalhar para que o conjunto de medidas econômicas faça um mecanismo de auxílio entre si e possa uma reforçar outra, um esforço respaldar outro esforço no campo fiscal, no campo monetário, no campo das agências reguladoras".

Palocci lembrou que no campo da telefonia, há 2 anos o Ministério e a Agência Nacional de Telecomunicações vêm construindo um mecanismo de contratação diferente do anterior. No final deste ano, haverá renovação de contratos de telefonia e para isso o Ministério e a Anatel estão construindo um índice setorial com uma evolução dos contratos firmados anteriormente, informou.

O Ministro da Fazenda revelou que o Conselho Monetário Nacional vai discutir em junho próximo a meta de inflação para 2007. "Este é o momento para o debate", sinalizou, sem entrar no mérito da divergência estabelecida na sessão de abertura do Fórum Nacional entre o líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante, que defendia o aumento para 5,5% da meta de inflação até 2006, e o ex-presidente do Banco Central, Afonso Pastore, que dizia que não era o caso de aumentar a meta.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)