Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

01/04/2015 08:13

Mulheres são quase 60% da força de trabalho do Judiciário de MS

TJMS

No mês de março se comemorou o Dia Internacional da Mulher. Mantendo-se firme frente às adversidades, a mulher conquistou o mercado de trabalho. Prova disso pode ser vista no Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul, que tem hoje 3.320 servidores, dos quais 1.947 são mulheres – o que significa dizer que 58,64% do quadro funcional é composto por mulheres.

Não se pode negar que a participação na força de trabalho vem da valorização das características femininas como competência, sensibilidade e visão ampla de situações que exigem a delicadeza para resolução de problemas.

Das 1.947 mulheres atuantes na justiça de MS, 1.417 estão em 1ª instância e 530 em 2º grau. Os números mostram também que 1.898 são efetivas e apenas 49 são comissionadas. E mais: entre as concursadas e comissionadas, em 1ª instância, existem 1.074 analistas judiciárias, 77 técnicas de nível superior, 26 escrivãs, 35 distribuidoras/partidoras, 38 auxiliares judiciárias, 164 agentes de serviços gerais e uma perita avaliadora.

Em segundo grau trabalham 393 analistas judiciárias, 34 técnicas de nível superior, 21 auxiliares judiciárias, 33 agentes de serviços gerais, uma assessora de inteligência, três assessoras jurídico-administrativas, uma ajudante de ordem, 10 assessoras de juiz, 33 assessoras de desembargador e uma assessora de projetos especiais.

Não se pode esquecer que compõem a justiça sul-mato-grossense 49 juízas e duas desembargadoras, o que significa dizer que em um universo de 198 magistrados, 25,75% são mulheres judicando. A Desa Maria Isabel de Matos Rocha e a juíza Mariel Cavalin dos Santos fazem parte desse percentual tão restrito.

Para a desembargadora, a mulher conquistou mais espaço no campo educacional, mas sua participação ainda é pouco significativa no que se refere a cargos eleitorais. “Nos cargos de maior expressão não temos ainda um número de destaque, mas acredito que chegaremos lá. Temos que continuar firmes e não desistir”.

Maria Isabel destacou também que há avanços importantes como a Lei Maria da Penha e no direito de família, como a guarda de filhos e pensão, embora algumas mudanças sejam culturais e mais difíceis de serem mudadas.

Para Mariel, titular da 1ª Vara em Aparecida do Taboado, o avanço feminino é resultado do toque de sensibilidade, do olhar diferenciado, que é inerente ao gênero. “Com grande orgulho tenho constatado a eficiência, a desenvoltura e o destaque da mulher nos mais variados ramos de atuação profissional da sociedade moderna. Não podemos esquecer, porém, que tais conquistas são devidas àquelas mulheres que nos antecederam: bases sólidas que nos proporcionaram a segurança e a crença de que é possível”, disse ela.

A juíza cita o aumento do número de mulheres que atuam como operadoras do Direito. “A mulher já atingiu o cargo de desembargadora e o número de juízas tem aumentado expressivamente nos últimos concursos, o que demonstra a dedicação ao estudo e a perseverança, apesar das dificuldades enfrentadas com jornadas duplas profissionais e familiares. No meu entendimento, tal conquista representa, para os jurisdicionados, segurança, experiência, sem perder a serenidade inerente à pessoa do gênero feminino, senão pela maturidade, cientificamente comprovada, então pela maternidade que é possibilitada por dom de Deus”.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)