Cassilândia, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

28/12/2004 07:24

Mulheres preferem o DIU , segundo pesquisa

Agência Notisa

Método contraceptivo é o escolhido por quase 60% das mulheres, seguido da laqueadura e da injeção. A pílula anticoncepcional é o menos optado.

É cada vez maior o número de mulheres que sentem a necessidade de utilizar um método contraceptivo e que procuram os serviços de saúde para obtê-lo. A maioria acaba optando pelo dispositivo intra-uterino (DIU) por considerarem um mecanismo mais seguro e eficaz. Essas são as conclusões de um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas, entre novembro de 2001 e dezembro de 2002, com 250 mulheres que procuraram o Ambulatório de Planejamento Familiar do Centro de Assistência Integral à Saúde da Mulher em busca de um método anticoncepcional.

De acordo com artigo publicado na edição de novembro/dezembro de 2004 dos Cadernos de Saúde Pública, “mais da metade das mulheres tinha até 29 anos de idade, possuía no máximo oito anos de escolaridade e não realizava trabalho remunerado. A grande maioria das participantes era casada ou vivia em união e possuía baixa renda familiar”. Além disso, quase todas as mulheres já haviam engravidado alguma vez.

Segundo os pesquisadores, entre todos os métodos anticoncepcionais, o preferido por 59% das participantes foi o DIU, seguido da laqueadura (24,0%) e da injeção (13,0%). O método menos escolhido foi a pílula. As principais razões dadas pelas entrevistadas referiram-se principalmente à segurança e aos efeitos colaterais do método. Além disso, muitas vezes a escolha foi influenciada pelos familiares e pelos médicos ou outros profissionais de saúde.

A equipe constatou também que as informações que as mulheres receberam ao procurar o ambulatório foram importantes e que a maioria continuou utilizando o método escolhido depois de seis meses. Além disso, 85% disseram estar satisfeitas ou muito satisfeitas com a escolha e afirmaram que o método havia lhes proporcionado benefícios.

Dessa forma, os pesquisadores alertam para a necessidade de as mulheres terem acesso a todos os métodos anticoncepcionais disponíveis: “além disso, para que as pessoas, de fato, possam escolher livremente, é relevante também a informação científica que lhes é dada acerca dos métodos. Neste ponto, incluem-se as contra-indicações gerais e as situações próprias de cada indivíduo que poderiam levar a considerar determinado método como mais ou menos adequado para essa pessoa, e, finalmente, o tipo de suporte que os serviços podem oferecer às pessoas que escolhem um método específico”.

Agência Notisa (jornalismo científico - science journalism)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)