Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

15/07/2004 10:27

Mulheres-''É preciso trabalhar as diferenças de gênero"

Juliana Andrade/ABr

A pobreza é jovem, feminina e tem pouca instrução. Nesse contexto, as mulheres também são maioria na pobreza, 52% contra 48% de homens. O fato é que vem crescendo, a cada ano, o número de mulheres consideradas pessoas de referência na família. Segundo dados do Programa Fome Zero, já são 30% de mulheres nessa condição. A Secretária Especial de Políticas para Mulheres, Nilcéa Freire, fala sobre o assunto:

ABr: Dados da Pesquisa Nacional de Amostra e Domicílios (PNAD) revelam que a maior fatia da população pobre do Brasil - 52% - é formada por mulheres. Além disso, quase 31% das famílias pobres são chefiadas por pessoas do sexo feminino. Eu gostaria que a senhora comentasse esse fenômeno no Brasil e falasse sobre os principais desafios para reverter essa tendência de feminização da pobreza?

Nilcéa Freire: Na história, as mulheres foram acumulando o legado de preconceito e de discriminação da sociedade. Portanto, muitas mulheres não tiveram oportunidades, ou não têm ainda oportunidades de ter posições dignas no mundo de trabalho. Por outro lado, quando se associam algumas variáveis, com ser mulher e ser negra, significa estar na base da pirâmide social. São as que mais sofrem os fenômenos de empobrecimento da população. Esse desafio – que não é só da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, mas é do nosso governo, que é democrático, de participação, de inclusão – supera-se não só nas políticas gerais de inclusão, geração de emprego e renda, crescimento econômico sustentável, mas também se expressa no tratamento das desigualdades de gênero e de raça. Ou seja, nosso governo tem consciência de que para enfrentar esse desafio não basta ter políticas gerais e universais. É preciso que dentro dessas políticas se trabalhe as diferenças de gênero e de raça para que se possa trabalhar a igualdade. Hoje, não podemos imaginar um país que se desenvolva do ponto de vista econômico de maneira sustentável sem incluir o talento, a força e a determinação de 52% da população, que somos nós mulheres.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)