Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

23/06/2005 12:41

Mudas para arborização estão fora dos padrões

Agência Notisa

A arborização urbana e a implantação de florestas urbanas e, ou, jardins são medidas importantes para atenuar os efeitos da poluição, melhorar a qualidade do ar, absorver poeira e aumentar a qualidade de vida da população, de uma forma geral. No entanto, se a qualidade das mudas não for adequada, grande parte do sucesso do projeto de arborização pode ficar comprometida. É o que mostram pesquisadores da Universidade Federal de Viçosa em um estudo realizado em 12 viveiros de Minas Gerais, sendo seis de instituições públicas e seis de particulares, entre os meses de outubro de 2001 e janeiro de 2002.

De acordo com artigo publicado na edição de julho/agosto de 2004 da revista Cadernos de Saúde Pública, “a esterilidade da vida urbana, fixada nas comodidades do concreto, precisa ser atenuada, uma vez que uma paisagem mais bonita torna saudável o ambiente e desperta influências psicológicas positivas, tendo como conseqüência a melhoria da qualidade de vida”.

Os pesquisadores constataram a existência de inúmeros problemas nos viveiros analisados. A análise da qualidade das mudas destinadas à arborização urbana no Estado de Minas Gerais indicou que alguns aspectos precisam ser melhorados, principalmente no que diz respeito ao diâmetro, à poda de formação e à altura mínima de 1,80 m, que contribuem com 59,69 % do problema. ”A altura mínima é um critério importante, pois diminui a quebra das mudas por pedestres mal educados, já que a implantação dificilmente é feita com a participação da comunidade e, como conseqüência, não há uma conscientização da importância das árvores no meio urbano”, explicam no artigo.

Segundo a equipe, de maneira geral não há uma preocupação com a qualidade das mudas, fato comprovado pelas altas porcentagens delas encontradas fora do padrão: “os tratos culturais que devem ser realizados para a adequada formação da muda para arborização não são feitos, ou porque não se sabe dessas técnicas (o que pode ser o caso dos viveiros particulares), ou porque não são considerados importantes pelos responsáveis pelos viveiros ou, ainda, devido ao maior gasto com mão-de-obra, pois muitos responsáveis reclamam da falta de pessoal”.

Dessa forma, os pesquisadores alertam para a necessidade de a produção ter uma conotação mais comercial, pois a muda vai para o meio urbano e lá recebe agregação de valor. Além disso, eles ressaltam que é importante levar em consideração as diversas formas e características das diferentes espécies, para que as medidas adotadas dêem resultados.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)