Cassilândia, Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

09/06/2011 07:58

MT: Índios ocupam hidrelétrica e prometem "destruição total”; há reféns

Edilson Almeida, 24 horas news e Top News
Índios controlam entrada e saída de hidrelétrica em MTTop News, 24 horasnewsÍndios controlam entrada e saída de hidrelétrica em MTTop News, 24 horasnews

Mais de 70 índios Arara e Cinta-Larga do Rio Branco invadiram nesta quarta-feira, dia 8, as instalações da Usina Hidrelétrica de Dardanelos, em Aripuanã, no extremo Noroeste de Mato Grosso. Eles cobram o cumprimento de reivindicações feitas há quase um ano e nunca atendidas pela Energéticas Águas da Pedra, empresa responsável pela construção da barragem. Os índios tratam os pedidos como direitos de compensação ambiental pelos impactos da obra.

Líderes disseram que a ocupação do canteiro de obras pelas próximas 12 horas será pacifica. Caso seus pedidos novamente não forem atendidos, eles prometeram destruir todas as dependências da usina, segundo o líder Amazonildo Arara. Os índios alegam que não são atendidos nem mesmo por telefone pelos responsáveis pelo empreendimento e se queixam do descaso. O empreendimento está avaliado em R$ 800 milhões.

Alguns funcionários estão dentro da usina sem poder sair. Caminhões e máquinas que estão dentro da obra também ficaram sob o poder dos índios, que exigem a presença dos diretores da Energéticas Águas da Pedra, que no ano passado durante a primeira invasão negociaram com as etnias.

Cerca de 200 índios de outros municípios estão na espera aguardando o chamado, caso não se resolva o impasse eles reforçarão a invasão.

A empresa Energética Águas da Pedra S/A – EAPSA, responsável pela construção da usina até o momento não se manifestou. A Polícia já se deslocou para o local para averiguar a situação.

Esta semana, a Neoenergia anunciou que pretende ir à Justiça para compensar o prejuízo que teve com o atraso na operação de Dardanelos (MT), de 260 MW. Inaugurada em meados de 2010, a hidrelétrica até hoje não pode fornecer energia para o SIN porque a LT Juba – Brasnorte (MT), de 207 km, em 230 kV, que conecta a usina ao sistema, ainda não foi concluída.

A Hidrelétrica de Dardanelos é também conhecida como “Usina da Morte” por ter destruído uma das mais belas cachoeiras existentes em Mato Grosso – o Salto Dardanelos. A usina começou a ser construída em 2007 e se arrastou por anos até a conclusão. Em 2010, o empreendimento foi ocupado pelos índios de 11 etnias que habitam a região e fizeram mais e 100 reféns. Eles exigiram um \\\"programa de sustentabilidade para a comunidade indígena\\\" e R$ 10 milhões, a título de \\\"reparação financeira\\\" pelo empreendimento.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 20 de Novembro de 2017
Domingo, 19 de Novembro de 2017
11:00
Mundo Fitness
Sábado, 18 de Novembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)