Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

04/02/2011 21:04

MT: casal é morto por ganhar na loteria; polícia resgata filho

Edilson Almeida e Izabela Andrade, 24horasnews

Um bebê, que hoje tem menos de dois anos, por pouco não foi executado pelo grupo de criminosos recrutados por Raimundo Pereira da Silva, o “B-18”, conhecido bandido que atua em Mato Grosso. A criança é filho do casal Raimundo Nonato Ferreira de Souza, 46, e Liliane Gomes Saldanha, 25, executados no caminho entre Pontes e Lacerda, cidade do Oeste de Mato Grosso, e Várzea Grande, depois de ganhar um prêmio de R$ 1,7 milhão ao acertar os cinco números da Quina, no ano passado. Houve discussão entre os bandidos e eles acabaram decidindo poupar a criança.

Poupar a vida da criança soa carinhoso, mas não atenua em nada o crime que o bando cometeu. O seqüestro e execução do casal Raimundo e Liliane foi bárbaro e meticulosamente planejado. Foi tudo devidamente planejado na cidade de Cacoal, em Rondônia. Um casal de amigos indicou o novo milionário e “B-18” começou a agir. O casal se instalou na cidade de Mato Grosso e, apesar de ter R$ 1,4 milhão, continuou vivendo de forma modesta. Não tardou a encontrar-se com a tragédia.

Raimundo Pereira se juntou a Ivan Rosa Moreira, 45 anos, Ricardo de Oliveira Queiroz, 27, Lauro Rosa Bueno, 22, e Luis Paulo da Silva, 22, para executar o plano: seqüestrar o casal, “arrancar” deles as informações bancárias, tomar posse de documentos e executá-los. Em outubro, fizeram tudo. Inclusive, sob tortura. Luís Paulo executou Raimundo Nonato, enquanto Ivan matou a mulher dele. A criança, porém, se tornou um problema e o grupo se dividiu. Ivan, segundo os criminosos presos pela Polícia, queria executar também o bebe para não deixar pistas.

De acordo com o delegado do GCCO, Luciano Inácio da Silva, os bandidos mataram o casal no mesmo dia do sequestro, após ser obrigado a entregar o número da conta e senha do banco, em que o dinheiro estava depositado. “Eles invadiram a casa durante a madrugada e vindo para Cuiabá obrigaram a vítima a fornecer a senha do cartão. Eles abasteceram o veículo com o cartão para conferir. Andaram alguns metros e executaram o casal às margens da rodovia”, explicou o delegado Luciano Inácio.

A criança foi trazida para Várzea Grande e teria passado pelas mãos de duas pessoas na cidade, que eram pagas para cuidar dela. Ela passou o maior tempo em uma casa no bairro Nova Conquista, em situação de vulnerabilidade. A família, morava em dois cômodos apenas e os dividia com animais domésticos.

O menino foi encontrado na casa de uma mulher no bairro Centro América, em Cuiabá. Ali ele estava bem cuidado, mas mesmo assim corria risco, porque um dos indiciados, Ivan Rosa, insistia que o grupo precisava se livrar do menino para não deixar rastro. “Tivemos que acelerar as investigações para resgatar a criança, pois havia o risco dela ser alcançada por um dos criminosos, que achava que o menino poderia levar a polícia até eles” - disse Luciano.

O delegado disse que a mulher tratou muito bem da criança e que foi enganada, pensava que o pai do menino havia morrido e mãe uma drogada. O menino está agora em local seguro, sob custodia de uma pessoa nomeada pela Promotoria da Infância e Juventude de Cuiabá.

O desaparecimento do casal e da criança começou a ser investigado pela Polícia Civil de Rondônia, a partir da abertura de inquérito que apurava saques fraudulento da conta corrente do chefe da família, que morou na cidade de Cacoal, antes de se mudar para Pontes e Lacerda. Em Mato Grosso, as investigações chegaram aos cinco criminosos.

Diligências estão sendo realizadas para encontrar os corpos das vítimas. O trabalho está sendo coordenado pela equipe do delegado Luciano Inácio, chefiada pelo chefe operações, Fernando Bezerra. Os acusados vão responder por extorsão mediante seqüestro com resultado morte, pena de 24 a 30 anos de prisão.

O delegado geral da Polícia Civil, Paulo Rubens Vilela, destacou os esforços das polícias de Mato Grosso e Rondônia em esclarecer o crime. “É um crime grave que foi resolvido pelo trabalho conjunto das polícias civis dos dois estados”, declarou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)