Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

16/05/2005 14:18

MST: 16 propostas para o governo

Cecília Jorge / ABr

Cerca de 50 pessoas representando os 12 mil sem-terra que participam da Marcha Nacional pela Reforma Agrária serão recebidas amanhã (17) pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Um documento foi organizado Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), com 16 principais propostas que envolvem o desenvolvimento agrário, a integração nacional, a cultura, a juventude, política econômica, a saúde, a educação, a ciência e a tecnologia.

Para a área de ciência e tecnologia, a introdução do Programa do Biodiesel nos assentamentos é uma das propostas dos sem-terra. Eles reivindicam ainda a criação de parcerias entre o Instituto de Formação do MST (Iterra) com universidades e institutos vinculados ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT). Em reunião realizada na semana passada com representantes do MST, o ministro da Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos, convidou o movimento para que participe da 3ª Conferência Nacional de Ciência e Tecnologia, em outubro deste ano.

Outra preocupação do MST é a preservação e o fortalecimento da identidade cultural dos cidadãos do campo. A pauta de reivindicações apresenta também propostas para a promoção cultural nas áreas de assentamentos da reforma agrária, como a realização de convênios e patrocínios a eventos nacionais e regionais do campo. Ações na área de saúde, como obras de saneamento básico, também são necessidades apontadas pelo movimento.

Em relação às mulheres, a pauta do MST sugere que o cadastramento no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) inclua o nome do homem e da mulher como titulares do lote e que seja ampliado o Programa Nacional de Documentação da Trabalhadora Rural, que tem como meta atualmente fornecer carteiras de identidade para 70 mil mulheres por ano. O movimento propõe ainda uma linha de crédito rural específica para mulheres e jovens para financiar atividades associativas e cooperadas.

A marcha que partiu de Goiânia (GO), no início do mês, tem como principal reivindicação o cumprimento da meta definida pelo governo federal no Plano Nacional de Reforma Agrária de assentar 400 mil famílias até o final de 2006. De acordo com o MST, apenas 11 mil famílias ligadas ao movimento foram assentadas em 2004.

Colaborou Keite Camacho.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)