Cassilândia, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

29/10/2004 12:39

MS teve a segunda maior inflação da pecuária em setembro

Fernanda Mathias / Campo Grande News

Mato Grosso do Sul registrou em setembro a segunda maior alta nos custos operacionais ao lado de Minas Gerais, no mês de setembro, de 0,45%, segundo dados da CNA (Confederação Nacional de Agricultura). Nos custos totais houve inflação de 0,81%. No acumulado deste ano os aumentos totais de custos para o criador de Mato Grosso do Sul já chegam a 11,11% frente uma valorização da arroba de apenas 1,63%, com depreciação no último mês de 1,81%. Segundo o relatório da CNA, a desvalorização no período de entressafra se deve ao fato de que procura por boi se retraiu, esticando as escalas de abate em mais de 30 dias.
Outro fator que pesou de forma negativo foi o embargo russo às exportações e o alarde daquele país em relação ao foco de aftosa na Amazônia. Este país é o maior importador de carne bovina brasileira, absorvendo cerca de 13% do embarcado de janeiro a agosto deste ano. Em Mato Grosso do Sul é o terceiro na balança comercial e diminuiu suas compras em 10% em setembro.
Novamente, em setembro, os aumentos nos preços do aço estimularam reajustes dos arames e de máquinas agrícolas. No acumulado dos nove meses, os insumos para construção/manutenção de cercas já atingem altas superiores a 18% e as máquinas, líderes no ranking, subiram quase 21%. Tal aumento está vinculado à escassez da matéria-prima para atender à elevada demanda externa, principalmente do mercado chinês. No Mato Grosso do Sul, os aumentos chegaram a 9% no ano. Os principais responsáveis são as altas de 12,84% dos medicamentos em geral e de 29,3% dos insumos para construção e manutenção de cercas. O preço do sal mineral, um dos insumos mais importantes e que mais impactam nos custos, também subiu em setembro. Na média dos nove Estados pesquisados, alcançou 1,3%, registrando mais de 11% no acumulado do ano. No caso deste insumo, os aumentos de 2004 estão bem superiores aos registrados de março a setembro de 2003, quando acumularam apenas 3,8%. O aumento vem ocorrendo, há vários meses, também devido aos constantes reajustes de matérias-primas importadas. De maio até meados de agosto, a taxa de câmbio se manteve acima de R$ 3,00/US$, atingindo o pico de R$ 3,21 /US$ em 20 de maio. Nesse período, muitos insumos foram reajustados para cima e não tiveram retrações proporcionais ao câmbio.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Quinta, 01 de Dezembro de 2016
11:00
Mundo Fitness
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)