Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

13/04/2008 20:13

MS, PR e SC unem forças para viabilizar ferrovia

TV Morena e Noticias MS

Governos estaduais, empresários e frente parlamentar deciriam somar forças para assegurar recursos federais e de instituições de desenvolvimento, como o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) ao projeto de expansão da Ferroeste. Mato Grosso do Sul aposta no projeto, pois vai reativar o antigo ramal de Ponta Porã, a partir de Maracaju, até Dourados e Mundo Novo. Nos 400 quilômetros de ramal interligado ao tronco ferroviário do Paraná, o Estado poderá escoar 5 bilhões de litros de álcool, 6 milhões de toneladas de grãos e 200 mil toneladas de calcário. O projeto está orçado em mais de R$ 3 bilhões a preços de hoje.

Na sexta-feira o governador André Puccinelli (PMDB) recebeu membros da Frente Parlamentar para a ampliação da Ferroeste, na Governadoria, para avançar nos entendimentos para a viabilização dos novos ramais que interligarão Maracaju ao Porto de Paranaguá (PR). Mato Grosso do Sul formalizou apoio à integração dos Estados através da Frente Parlamentar, formada pelos deputados estaduais Pedro Uczai (PT-SC) e Reinaldo Azambuja (PSDB-MS) e pelos deputados federais Celso Maldaner (PMDB-SC) e Dagoberto Nogueira (PDT-MS).

Constituída para agilizar os estudos de viabilidade técnica e econômica para a ampliação da Ferroeste, que poderá entrar em operação parcial já em 2010 nos três Estados, a Frente Parlamentar também busca alternativas de financiamento para a ferrovia, orçada em mais de R$ 3 bilhões.

“A união política e a atuação da Frente asseguram agilidade na conclusão do projeto da Ferroeste. Unidos, os Estados construirão uma ferrovia viável e lucrativa, integrando uma região estratégica para o País”, afirmou o governador André Puccinelli.

No encontro também foram analisados dados técnicos, traçados já definidos e o andamento dos projetos de construção para cada fase da ferrovia, que ligará a região sul do Estado ao porto paranaense, com ramais em Foz do Iguaçu (PR) e Chapecó (SC). De acordo com o governador, a localização estratégica da ferrovia garante para Mato Grosso do Sul novas alternativas de escoamento para uma produção que já bate as 10 milhões de toneladas/ano.

“A vocação da ferrovia é ser mais que uma alternativa viável de transporte que garante o desenvolvimento da região brasileira com os melhores índices de produção do País. Ela atuará como um canal de integração econômica e social entre os Estados”, disse o diretor da Ferroeste, Samuel Gomes.

COMPETITIVIDADE

Inserida na lista de projetos prioritários de Mato Grosso do Sul para a área de infra-estrutura, a Ferroeste possui dois fatores principais para ser considerada com indutora do plano de desenvolvimento do Estado: a localização, que garante o escoamento da produção da Região Sul, maior produtora do Estado, ao Porto de Paranaguá (PR) e a diminuição dos custos de frete, possibilitada pela maior capacidade de carga e agilidade do transporte ferroviário.

A estimativa é de que ao longo dos 440 quilômetros dentro de Mato Grosso do Sul (ligando Maracaju a Mundo Novo), a ferrovia possa transportar mais de 5 bilhões de litros/ano de álcool, 6 milhões de toneladas de grãos e mais de 200 mil toneladas de calcário, além de produtos que hoje são transportados somente por via rodoviária.

A Ferroeste

Criada em 15 de março de 1988, a Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A é uma empresa de economia mista, vinculada à Secretaria dos Transportes por ser o Estado do Paraná o seu maior acionista. A empresa detém a concessão para construir e operar uma ferrovia entre Guarapuava (PR) e Dourados (MS), e servindo o Oeste e Extremo Oeste paranaense, Mato Grosso do Sul, Paraguai e norte da Argentina.

Concebida principalmente para transporte de grãos e insumos para plantio, a Ferroeste, denominada no passado de "Ferrovia da Soja" e "Ferrovia da Produção", teve sua construção iniciada em 15 de março de 1991, com a implantação do trecho Guarapuava – Cascavel (numa primeira etapa); e, em etapas posteriores, Cascavel - Guaíra e Cascavel - Foz do Iguaçu.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)