Cassilândia, Quarta-feira, 24 de Maio de 2017

Últimas Notícias

13/04/2008 20:13

MS, PR e SC unem forças para viabilizar ferrovia

TV Morena e Noticias MS

Governos estaduais, empresários e frente parlamentar deciriam somar forças para assegurar recursos federais e de instituições de desenvolvimento, como o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) ao projeto de expansão da Ferroeste. Mato Grosso do Sul aposta no projeto, pois vai reativar o antigo ramal de Ponta Porã, a partir de Maracaju, até Dourados e Mundo Novo. Nos 400 quilômetros de ramal interligado ao tronco ferroviário do Paraná, o Estado poderá escoar 5 bilhões de litros de álcool, 6 milhões de toneladas de grãos e 200 mil toneladas de calcário. O projeto está orçado em mais de R$ 3 bilhões a preços de hoje.

Na sexta-feira o governador André Puccinelli (PMDB) recebeu membros da Frente Parlamentar para a ampliação da Ferroeste, na Governadoria, para avançar nos entendimentos para a viabilização dos novos ramais que interligarão Maracaju ao Porto de Paranaguá (PR). Mato Grosso do Sul formalizou apoio à integração dos Estados através da Frente Parlamentar, formada pelos deputados estaduais Pedro Uczai (PT-SC) e Reinaldo Azambuja (PSDB-MS) e pelos deputados federais Celso Maldaner (PMDB-SC) e Dagoberto Nogueira (PDT-MS).

Constituída para agilizar os estudos de viabilidade técnica e econômica para a ampliação da Ferroeste, que poderá entrar em operação parcial já em 2010 nos três Estados, a Frente Parlamentar também busca alternativas de financiamento para a ferrovia, orçada em mais de R$ 3 bilhões.

“A união política e a atuação da Frente asseguram agilidade na conclusão do projeto da Ferroeste. Unidos, os Estados construirão uma ferrovia viável e lucrativa, integrando uma região estratégica para o País”, afirmou o governador André Puccinelli.

No encontro também foram analisados dados técnicos, traçados já definidos e o andamento dos projetos de construção para cada fase da ferrovia, que ligará a região sul do Estado ao porto paranaense, com ramais em Foz do Iguaçu (PR) e Chapecó (SC). De acordo com o governador, a localização estratégica da ferrovia garante para Mato Grosso do Sul novas alternativas de escoamento para uma produção que já bate as 10 milhões de toneladas/ano.

“A vocação da ferrovia é ser mais que uma alternativa viável de transporte que garante o desenvolvimento da região brasileira com os melhores índices de produção do País. Ela atuará como um canal de integração econômica e social entre os Estados”, disse o diretor da Ferroeste, Samuel Gomes.

COMPETITIVIDADE

Inserida na lista de projetos prioritários de Mato Grosso do Sul para a área de infra-estrutura, a Ferroeste possui dois fatores principais para ser considerada com indutora do plano de desenvolvimento do Estado: a localização, que garante o escoamento da produção da Região Sul, maior produtora do Estado, ao Porto de Paranaguá (PR) e a diminuição dos custos de frete, possibilitada pela maior capacidade de carga e agilidade do transporte ferroviário.

A estimativa é de que ao longo dos 440 quilômetros dentro de Mato Grosso do Sul (ligando Maracaju a Mundo Novo), a ferrovia possa transportar mais de 5 bilhões de litros/ano de álcool, 6 milhões de toneladas de grãos e mais de 200 mil toneladas de calcário, além de produtos que hoje são transportados somente por via rodoviária.

A Ferroeste

Criada em 15 de março de 1988, a Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A é uma empresa de economia mista, vinculada à Secretaria dos Transportes por ser o Estado do Paraná o seu maior acionista. A empresa detém a concessão para construir e operar uma ferrovia entre Guarapuava (PR) e Dourados (MS), e servindo o Oeste e Extremo Oeste paranaense, Mato Grosso do Sul, Paraguai e norte da Argentina.

Concebida principalmente para transporte de grãos e insumos para plantio, a Ferroeste, denominada no passado de "Ferrovia da Soja" e "Ferrovia da Produção", teve sua construção iniciada em 15 de março de 1991, com a implantação do trecho Guarapuava – Cascavel (numa primeira etapa); e, em etapas posteriores, Cascavel - Guaíra e Cascavel - Foz do Iguaçu.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 23 de Maio de 2017
Segunda, 22 de Maio de 2017
21:25
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)