Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

26/11/2012 17:43

MS: MPF denuncia 19 pessoas pela morte de cacique desaparecido há um ano

Alex Rodrigues, Agência Brasil

Brasil – O Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul (MPF/MS) denunciou 19 pessoas pelo homicídio do cacique do acampamento Guaviry, em Mato Grosso do Sul, Nízio Gomes, de 55 anos. Segundo o MPF, entre os denunciados, há fazendeiros, advogados e um secretário municipal, além de proprietários e funcionários de uma empresa de segurança privada.

A denúncia foi apresentada no início de agosto, mas só no último dia 8 a juíza responsável pelo processo autorizou a divulgação das informações do Processo 0001927-86.2012.4.03.6005, agora disponíveis no site da Justiça Federal. O MPF/MS tornou pública sua iniciativa hoje (26).

O cacique guarani-kaiowá está desaparecido desde 18 de novembro do ano passado, quando, de acordo com outros índios da etnia que presenciaram o ataque, um grupo de homens armados invadiu o acampamento Guaiviry, localizado entre Ponta Porã e Aral Moreira, na região sul do estado.

Segundo os índios, Nísio foi baleado, caiu ensanguentado, aparentemente sem vida, e seu corpo foi levado pelos pistoleiros para nunca mais ser visto. Posteriormente, a perícia policial confirmou presença de sangue humano no local onde o cacique teria caído.

Embora o corpo de Nízio não tenha sido localizado até hoje, o MPF diz ter provas e indícios suficientes para atestar o homicídio qualificado. Além de depoimentos dos próprios réus, exames de DNA feitos com o sangue encontrado no local revelaram que o material era “geneticamente relacionado à mãe e aos filhos de Nízio Gomes”.

O MPF informou que os denunciados vão responder na Justiça por vários crimes relacionados à tentativa de expulsão dos índios do acampamento, ocupado pelos guarani-kaiowá poucos dias antes da ação que resultou no desaparecimento do cacique. Até ocupar a área, reivindicada como território tradicional indígena, o grupo vivia acampado às margens de uma rodovia estadual, onde também relataram ter sido atacados por homens armados.

Entre os crimes pelos quais os denunciados vão responder, conforme a participação de cada um, estão homicídio qualificado, lesão corporal, ocultação de cadáver, porte ilegal de arma de fogo, corrupção de testemunha e formação de quadrilha ou bando armado.

Edição: Nádia Franco

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 06 de Dezembro de 2016
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)