Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

04/12/2012 15:52

MS: mãe e bebê morrem no parto e médico denuncia estrutura

Campo Grande News/ Viviane Oliveira

A Polícia Civil investiga a morte de um bebê e da mãe, ocorrida no último domingo (2) durante o parto, no Hospital Municipal de Sete Quedas, cidade distante 471 quilômetros de Campo Grande.

As duas morreram no parto, após Nair Pereira da Silva, 24 anos, dar entrada na unidade com complicações de saúde. O médico que realizou o atendimento registrou um boletim de ocorrência dizendo que a paciente morreu porque o hospital não tinha estrutura para fazer o procedimento.

Segundo a Polícia, a família da paciente disse que quando Nair deu entrada no hospital, já em trabalho de parto, não havia médico no local.

Porém, de acordo com a secretaria de saúde da cidade, Daiane Siqueira Fernandes, no momento havia duas técnicas de enfermagem e um médico de plantão no local. Por causa do estado de saúde da paciente foi chamado um cirurgião que estava de folga naquele dia.

O cirurgião que realizou o primeiro atendimento disse que a cabeça do bebê não estava posicionada para o parto e seria necessária a realização de uma cesariana.

De acordo com a Polícia, após a morte da mulher e do bebê o médico registrou um boletim de ocorrência dizendo que o hospital não tem estrutura para esse tipo de procedimento.

Ainda segundo o médico, o hospital não tinha condições de fazer esse tipo de cirurgia, não tinha anestesista e nem respirador. A paciente morreu por falta de estrutura na unidade hospitalar.

A secretaria de saúde disse que no hospital há apenas uma enfermeira chefe que é concursada e trabalha de segunda a sexta-feira. “No fim de semana só fica duas técnicas e um médico de plantão, nós precisamos de mais funcionários.”, afirma, acrescentando que o laudo da causa da morte vai sair em 30 dias.

Quanto a estrutura da unidade, Daiane não quis comentar dizendo que essa parte é com o prefeito, Sérgio Roberto Mendes. A reportagem entrou em contato com o prefeito, porém nenhuma das ligações foi atendida.

O inquérito deve ser encerrado em 30 dias e uma cópia deve ser encaminhada para o Conselho Regional de Medicina (CRM-MS) em Campo Grande.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)