Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

23/04/2010 12:31

MPF recomenda que União segure R$ 1 mi da Expogrande

Campo Grande News/ Fernanda Mathias

O Ministério Público Federal recomendou ao Ministério do Turismo que não libere os recursos destinados a ajudar no custeio da Expogrande 2010, que totalizam R$ 1 milhão, enquanto a Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) não justificar o porquê da cobrança para entrar no parque de exposições durante o evento.

A exigência é que a Acrissul apresente todas as receitas e despesas efetuadas, com os documentos fiscais, contábeis e financeiros de cada gasto realizado e a respectiva origem dos recursos utilizados. As informações apresentadas devem, ainda, passar por parecer técnico da Controladoria-Geral da União ou do Tribunal de Contas da União para comprovação da necessidade dos valores cobrados no ingresso.

Quando foi realizada a Expogrande o MPF ingressou com ação na Justiça para que a Acrissul não cobrasse pelos ingressos, mas a entidade conseguiu manter a cobrança. O MPF oficiou a Acrissul para que apresente relatório dos valores arrecadados e listagem de receitas e despesas. As recomendações resultam de representação feita por acadêmicos do Diretório Central de Estudantes da faculdade Estácio de Sá. Quanto à nova orientação feita ao Ministério do Turismo, o prazo para que responda à recomendação é de 15 dias “sob pena das providências judiciais e extrajudiciais pertinentes para garantir a
prevalência das normas de proteção ao patrimônio público e social”, informa o MPF.

Preço de cinema – O presidente da Acrissul, Francisco Maia, alega que o subsídio do Ministério do Turismo possibilita que a população campo-grandense participe de show com atrações nacionais “a preço de cinema”. “Você vai a shows com atrações como Victor e Léo e Luan Santana e paga R$ 8,00 (meia) quando em qualquer local um show desses custa R$ 30,00”, diz Maia.

Segundo ele, a Acrissul já providenciou várias documentações exigidas pelo MPF e continua a providenciar outras que serão apresentadas. “Não temos nenhum tipo de problema quanto a isso. Eu acho que todas as medidas que forem tomadas no sentido de fiscalizar o patrimônio público devem ser adotadas. O MPF está no papel dele”, finaliza.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)