Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

15/04/2010 13:29

MPE investiga maternidade acusada de forçar parto normal

Campo Grande News/ Aline dos Santos

O MPE (Ministério Público Estadual) abriu inquérito civil para investigar denúncia contra a maternidade Cândido Mariano, em Campo Grande. No mês passado, o tecnólogo ambiental Maximiliano Schadler, de 33 anos, acionou o Ministério Público após ter que pagar R$ 3.300 para que sua esposa, Mirian Kelly dos Santos, de 30 anos, fizesse parto cesárea. O caso foi denunciado em matéria do Campo Grande News.

Após a gestante enfrentar 18 horas de trabalho de parto, a cesariana só foi feita quando Maximiliano desistiu do atendimento do SUS (Sistema Único de Saúde) e transferiu a esposa para o sistema particular, também oferecido pela maternidade.

De acordo com a assessoria de imprensa do MPE, a promotora de Justiça e Cidadania, Sara Francisco Silva, solicitou informações à Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) e à direção da maternidade.

O documento, enviado no último dia 30, tem prazo de dez dias úteis para ser respondido, portanto, o prazo dado pelo Ministério Público termina amanhã à noite.

Na ocasião, a justificativa dada à família era que para ter cobertura do SUS seria necessário cumprir protocolo que eliminasse totalmente a possibilidade de parto normal.

Segundo Maximiliano, a informação inicial era de que a cesárea custava R$ 1.700,00, mas depois a médica disse que o valor estava incorreto e que era preciso pagar R$ 3.300,00.

Após receber um cheque de R$ 2 mil, a médica pediu que Maximiliano assinasse um documento desistindo do procedimento do SUS. Já fora do período de plantão, a médica realizou a cesariana.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)