Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

15/09/2007 18:18

Motociclistas não concordam com normas do Contran

Isabela Vieira e Aline Bravim /ABr

Brasília - Apesar de ter mais tempo para adaptar o capacete às novas regras do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o motociclista Jeovani de Oliveira disse que não tem a intenção de comprar um novo equipamento de proteção.

Para ele, que disse dirigir há nove anos sem ter sofrido nenhum acidente grave, a certificação do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) é suficiente. Na opinião de Oliveira, os demais itens do texto do Contran que tratam de elementos refletivos, como viseira do padrão cristal para a noite, não trazem melhorias.

“Isso não tem nada a ver com segurança. O mesmo efeito que esse novo capacete pode ter, os que usamos já são capazes de oferecer”, afirmou. “Não é preciso mudar nada", acrescentou, ressaltando que medida servirá apenas para arrecadar mais impostos com a venda dos capacetes.

Mesmo com o descontentamento de Jeovani de Oliveira, todos os motociclistas devem ter capacetes adaptados às regras até janeiro do próximo ano, sob pena de pagar multa de até R$ 191,54. Esse é o valor da sanção para quem é flagrado sem o equipamento.

Por isso, pensando na procura pelos capacetes certificados, a indústria nacional se prepara para produzir equipamentos adaptados – que já começaram a ser procurados.

De acordo com o consultor do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos (Sincodiv) do Distrito Federal, Maurício de Souza, para atender à demanda a produção começou desde o primeiro semestre.

“ Os capacetes estão prontos, de antemão, para atender o público”, informou. Souza garante que mesmo antes da regulamentação da medida, os fabricantes têm se preocupado com a segurança dos motociclistas. “Diante dos acidentes sérios, decorrentes da má qualidade dos capacetes, as indústrias trabalham em projetos melhores e confiáveis”.

Atualmente, 80% dos capacetes comercializados seguem as normas de segurança estabelecidas, de acordo com o Sincodiv-DF. O sindicato também informa que a preocupação com os motociclistas têm se expandido e que o comerciante também orienta o cliente antes de vender o equipamento.





Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)