Cassilândia, Quinta-feira, 30 de Março de 2017

Últimas Notícias

27/04/2010 12:13

Morre médica testemunha de confusão durante parto

Campo Grande News/ Aline Queiroz

Uma testemunha da morte da menina Mibsan Rodrigues Cabreira, ocorrida dia 23 de fevereiro, durante o parto feito no Hospital Municipal de Ivinhema, faleceu. Maria Elza, esposa de um dos médicos envolvidos na confusão que terminou com a morte do bebê, teve meningite e morreu há duas semanas.

Segundo o delegado que investiga o caso, Lupérsio Degerone Lúcio, ela foi intimada a prestar novos esclarecimentos e a Polícia descobriu que havia falecido. À época da morte, ela já havia sido ouvida em depoimento.

Maria Elza era casada com Sinomar Ricardo, 69 anos, que se envolveu em uma briga com o outro médico que também trabalhava na cidade, Orozimbo Ruela, 42 anos. Ela participou do atendimento à gestante Gislaine de Matos Rodrigues, 32 anos, que devido ao tumulto teve de mudar de sala e a equipe foi substituída.

A menina nasceu morta e o inquérito policial para apurar a responsabilidade dos médicos deverá ser concluído até 16 de maio.

O delegado já antecipa que Orozimbo e Sinomar deverão ser indiciados por aborto. Eles brigaram a socos e pontapés enquanto Gislaine aguardava o nascimento da filha.

O bebê teve sofrimento agudo até ser retirado do útero da mãe por meio de uma cesárea, conforme apontou o primeiro laudo.

Depois do episódio, os dois foram demitidos. As investigações apontaram que o plantão era de Sinomar e Orozimbo já havia feito o prontuário de entrada da paciente. As testemunhas reforçam a argumentação de Sinomar, conforme o delegado.

Elas apontam que a briga ocorreu na porta da sala onde estava a gestante. Orozimbo começou a agressão, na versão de Sinomar e das testemunhas.

À Polícia Civil, Sinomar reforçou o que havia dito em relação ao tumulto. Ele afirma que ao entrar na sala constatou que Orozimbo havia colocado na vagina da gestante comprimidos de medicamento abortivo à base de misoprostol, o citotec.

O procedimento é usado para induzir o parto e, Sinomar ressalta que o parto transcorria normalmente, portanto, não concordava. Sinomar afirma que estava de plantão e, por isso, faria o parto.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 30 de Março de 2017
Quarta, 29 de Março de 2017
20:34
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)