Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

27/04/2010 12:13

Morre médica testemunha de confusão durante parto

Campo Grande News/ Aline Queiroz

Uma testemunha da morte da menina Mibsan Rodrigues Cabreira, ocorrida dia 23 de fevereiro, durante o parto feito no Hospital Municipal de Ivinhema, faleceu. Maria Elza, esposa de um dos médicos envolvidos na confusão que terminou com a morte do bebê, teve meningite e morreu há duas semanas.

Segundo o delegado que investiga o caso, Lupérsio Degerone Lúcio, ela foi intimada a prestar novos esclarecimentos e a Polícia descobriu que havia falecido. À época da morte, ela já havia sido ouvida em depoimento.

Maria Elza era casada com Sinomar Ricardo, 69 anos, que se envolveu em uma briga com o outro médico que também trabalhava na cidade, Orozimbo Ruela, 42 anos. Ela participou do atendimento à gestante Gislaine de Matos Rodrigues, 32 anos, que devido ao tumulto teve de mudar de sala e a equipe foi substituída.

A menina nasceu morta e o inquérito policial para apurar a responsabilidade dos médicos deverá ser concluído até 16 de maio.

O delegado já antecipa que Orozimbo e Sinomar deverão ser indiciados por aborto. Eles brigaram a socos e pontapés enquanto Gislaine aguardava o nascimento da filha.

O bebê teve sofrimento agudo até ser retirado do útero da mãe por meio de uma cesárea, conforme apontou o primeiro laudo.

Depois do episódio, os dois foram demitidos. As investigações apontaram que o plantão era de Sinomar e Orozimbo já havia feito o prontuário de entrada da paciente. As testemunhas reforçam a argumentação de Sinomar, conforme o delegado.

Elas apontam que a briga ocorreu na porta da sala onde estava a gestante. Orozimbo começou a agressão, na versão de Sinomar e das testemunhas.

À Polícia Civil, Sinomar reforçou o que havia dito em relação ao tumulto. Ele afirma que ao entrar na sala constatou que Orozimbo havia colocado na vagina da gestante comprimidos de medicamento abortivo à base de misoprostol, o citotec.

O procedimento é usado para induzir o parto e, Sinomar ressalta que o parto transcorria normalmente, portanto, não concordava. Sinomar afirma que estava de plantão e, por isso, faria o parto.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)