Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

11/05/2011 14:48

Morre 1º garoto a usar coração artificial no Brasil

Bruna Girotto

\"É uma ferida que vai ficar até o dia em que o Pai me chamar para perto do meu filho. Ele foi muito guerreiro”. No dia seguinte da morte do menino Patrick Hora Alves, de 10 anos, essas foram as palavras de Luis Claudio Alves, pai do menino, que há cerca de um mês passou por um transplante de coração no Instituto Nacional de Cardiologia (INC), em Laranjeiras, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Muito emocionado, Luis Cláudio disse que está sem palavras, porque foi “uma luta árdua e cansativa”. Segundo ele, entre as causas da morte estão choque cardíaco e insuficiência renal. Mas ele contou que ainda tem algumas dúvidas sobre as causas da morte de Patrick e aguarda uma nota do hospital.

Patrick foi a primeira criança do Brasil a viver com um coração artificial por cerca de 30 dias. O pai do menino lembrou que foram 58 dias de tentativa para solucionar o problema do filho. “O sofrimento é muito grande. Não tem dor que passe”, disse ele, que tem na lembrança a última imagem do filho, ainda acordado, entrando no centro cirúrgico para fazer o transplante.

Patrick faleceu por volta de 19h40. O corpo do menino será cremado na sexta-feira (13) no Memorial do Carmo, no Caju, na Zona Portuária do Rio.

Em nota oficial divulgada na noite de terça-feira, o Instituto Nacional de Cardiologia (INC) informou que Patrick morreu de falência múltipla de órgãos, decorrente de uma infecção provocada por uma pneumonia. Mais cedo, o hospital divulgara um boletim médico que dizia que o paciente não respondia bem ao tratamento. Patrick foi submetido à cirurgia em 15 de abril.

Os médicos explicaram, nesta terça-feira, que Patrick estava em estado crítico e necessitava de suporte respiratório e renal. O menino piorou no último fim de semana. Em 29 de abril, os médicos chegaram a avaliar a possibilidade de reduzir a sedação no paciente, o que não aconteceu.

O diretor do INC, Marco Antonio Mattos, explica que Patrick sofria de uma doença genética chamada miocardiopatia restritiva. Desde então, ele teve dois coágulos no coração e o órgão acabou se deteriorando, após uma das cirurgias para a retirada do coágulo. O coração artificial poderia ficar no corpo da criança por até três meses.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)