Cassilândia, Quinta-feira, 26 de Abril de 2018

Últimas Notícias

20/10/2007 07:00

Ministro nega redução de pena a menores de 21 anos

STF

O ministro Cezar Peluso, do Supremo Tribunal Federal (STF), indeferiu liminar no Habeas Corpus (HC) 92710 impetrado pela defesa de C.I.S. e J.F.V., condenados a um ano de prisão pelo crime de furto qualificado. Eles pretendiam o restabelecimento de uma decisão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) que reduziu a pena dos dois, abaixo do mínimo legal, “tendo em vista a incidência da atenuante da menoridade”.

Após condenação pelo crime de furto qualificado (artigo 155, parágrafo 4º, I e IV, do Código Penal - CP), a defesa recorreu ao TJ-RS. A corte gaúcha decidiu afastar a agravante do parágrafo 4º, do artigo 155 do CP – que aumentara a pena de dois para oito anos, e aplicar a agravante prevista no parágrafo 2º do artigo 157 (roubo qualificado) – que aumentaria a pena em um terço até metade. Ainda na análise da apelação, o TJ determinou que a pena fosse reduzida, abaixo do mínimo legal, pelo fato de os condenados serem menores de 21 anos à época do crime.

O Ministério Público recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que a pena aplicada não fosse inferior ao mínimo legal, afastando a declaração da extinção da punibilidade, pela prescrição punitiva. O STJ deu provimento ao recurso e determinou ao TJ-RS que realizasse novo cálculo da pena, sem aplicar a atenuante da menoridade mas de furto qualificado, e não de roubo qualificado.

Indeferimento

O ministro Cezar Peluso, entendeu que o caso não é de liminar e indeferiu o pedido. Ele ressaltou que, conforme o relator da matéria no Superior Tribunal de Justiça (STJ), aquela Corte já pacificou o entendimento de que não pode ser aplicada ao furto qualificado pelo concurso de agentes a majorante de roubo em igual condição.

Quanto à questão da redução da pena, ele destacou que a jurisprudência do Supremo reconhece que as circunstâncias atenuantes “não podem reduzir a pena aquém do mínimo legal”. Segundo o relator, “é certo que o artigo 65 do Código Penal determina que as circunstâncias ali relacionadas sempre atenuam a pena. Isso significa que a atenuante deve ser levada em consideração, tal como ocorreu na sentença, mas pode ocorrer que nenhum impacto tenha na fixação da pena: no nosso sistema, as atenuantes não podem reduzir a pena aquém do mínimo”.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 26 de Abril de 2018
Quarta, 25 de Abril de 2018
Terça, 24 de Abril de 2018
Segunda, 23 de Abril de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)