Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

04/10/2007 22:46

Ministro Gilmar Mendes acompanha votos

STF

Nono ministro a votar na questão da fidelidade partidária, questão central em discussão nos Mandados de Segurança 26602, 26603 e 26604, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou entender que a matéria já era merecedora de urgente revisão. Para ele, não era possível que um eventual eleito pudesse "desvencilhar-se da legenda pela qual se elegeu, carregando o mandato obtido".

A ação política realiza-se por meio dos partidos políticos, salientou o ministro, sendo o partido político o responsável pela mediação entre o povo e o Estado. Gilmar lembrou ainda que o sistema proporcional eleitoral no Brasil chama a atenção, no caso, por configurar uma verdadeira democracia partidária.

A permanência do parlamentar no partido pelo qual se elegeu é imprescindível para a manutenção da representatividade partidária e portanto do próprio mandato. Por essa razão, o ministro afirmou entender que, ressalvadas situações específicas – como mudança ideológica do partido ou alguma perseguição política, o abandono da legenda deve, sim, ensejar a extinção de seu mandato.

O ministro demonstrou, ainda, preocupação sobre o fato de que as migrações ocorrem normalmente em direção à base governista, por um processo de cooptação, o que põe em risco a democracia, pela importância da existência da oposição e do papel das minorias.

Marco temporal

Numa mudança jurisprudencial, como estaria para acontecer nesse caso, o ministro frisou que é preciso que se fixe um marco temporal, uma data a partir de quando passa a ter validade o novo entendimento da corte, como forma de garantir a segurança jurídica. Gilmar Mendes disse que as soluções encontradas pelos ministros Celso de Mello e Cármen Lúcia se identificam com a sua, com a fixação do dia 27 de março de 2007 como o início desse novo entendimento do Tribunal.

Assim, Gilmar Mendes indeferiu totalmente os MS 26603 (PSDB) e 26602 (PPS), deferindo em parte o MS 26604 (DEM), apenas quanto à deputada Jusmari Oliveira (BA).

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)